A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS (SARS-COV-2) E SUAS REPERCUSSÕES NA ESTIGMATIZAÇÃO E O PRECONCEITO

Gilvânia Patrícia do Nascimento Paixão, Rudval Souza da Silva, Fernanda Nassiff Neves Carneiro, Leiza Nazareth Torres Lisbôa

Resumo


Objetivo: refletir acerca do cenário do novo Coronavírus no que tange à estigmatização e o preconceito para com as pessoas infectadas. Método: ensaio de reflexão teórico-filosófica. Resultados: uma crise atual e presente inclusive no cotidiano dos profissionais de saúde que estão na linha de frente da produção do cuidado junto às pessoas que têm desenvolvido a doença da COVID-19 e lotado as unidades de saúde. Panorama que se assemelha a uma guerra, todavia com armamento invisível e letal que desponta num cenário de mortes, gerando medo e ansiedade em toda a população mundial, além de propiciar disfunções sociais. Conclusão: a discussão sobre a estigmatização remete aos estudos de Erving Goffman e à definição de estigma e sua repercussão na identidade da pessoa com distorções e comprometimentos emocional e social, o que tem influenciado o cotidiano de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus marcado pela estigmatização e preconceito social.

Descritores: Infecções por Coronavírus. Pandemias. Estigma social. Medo. Ansiedade.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v35.36986

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt