Interferência no uso da redução léxica no contexto da saúde:

uma revisão integrativa

Autores

Palavras-chave:

Reduções léxicas, Revisão bibliográfica integrativa, Abreviações, Representação da informação, Informação e Saúde

Resumo

Apresenta os resultados da pesquisa cujo objetivo é analisar na literatura científica das Áreas da Saúde e da Ciência da Informação, como as interferências das reduções léxicas (abreviações e símbolos)estão sendo refletidas no contexto comunicacional da saúde. Metodologia: Revisão Bibliográfica Integrativa da literatura publicada nas principais bases de dados nacionais e internacionais que contemplam as áreas estudadas. Estratégia de busca: “abbreviation as topic”, “acronyms”, “siglas” e “acrônimos”: Resultados: 603 publicações recuperadas, sendo somente 31 pertinentes. Conclusão: Reduções léxicas não padronizadas trazem interferências na comunicação em saúde e podem ocasionar danos à saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virgínia Bentes Pinto, Universidade Federal do Ceará - UFC

Professora do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Ceará (UFC). Líder do Grupo sobre Representação da Informação. Orcid: https://orcid.org/0000-0003-1283-8292

Anderson Melo Duarte, Universidade Federal do Ceará - UFC

Acadêmico do Curso de Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista do PIBIC-CNPq

José Alvaro Silva Lima de Arruda, Universidade Federal do Ceará - UFC

Acadêmico do Curso de Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista do PIBIC-CNPq

Referências

ARIZA, M. Ángeles Alcaraz. Las siglas del discurso biomédico escrito en inglés: análisis y aplicaciones didácticas. The Especialist, [S.l.], v. 23, n. 1, maio 2012. ISSN 2318-7115. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/esp/article/view/9388. Acesso em 24 de maio de 2019.

BRASIL. Conselho Federal de Medicina. Resolução nº 1.246. Dispõe sobre o Código de Ética Médica. Disponível em: URL: http://www. portalmedico. org.br/php/pesquisa_resolucoes.php. Acesso em 02 de ago. 2020.

BRASIl. Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 357 de 20 de abril de 2001. Dispõe sobre Regulamento Técnico das Boas Práticas de Farmácia. Disponivel em: https://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/357.pdf.Acesso em 22 de maio de 2019.

CASADO VELARDE, M. Creación léxica mediante siglas. Revista Española de Lingüística (RSEL), v. 9, 1 (Enero-Junio), 1979.

CHEMALI, Mark; HIBBERT, Emily J; SHEEN, Adrian. General practitioner understanding of abbreviations used in hospital discharge letters. Medical Journal Of Australia, [S.L.], v. 203, n. 3, p. 147-147, ago. 2015. AMPCo. http://dx.doi.org/10.5694/mja15.00224.

COOPER, H. M. The integrative research review: a systematic approach. Beverly Hills: Sage, 1984.

KOCZMARA, C.; JELINCIC, V.; DUECK, C. Dangerous abbreviations: “U” can make a difference! Dynamics (Pembroke, Ont.), [S. l.], v. 16, n. 3, p.11–15, 2005.

LöVESTAM, Elin, et al. Abbreviations in Swedish Clinical Text -use by three professions. IOS Press Ebooks, Amsterdã, vol. 205, 2014, p. 720–724, doi:10.3233/978-1-61499-432-9-720

MORAES, I.N. Erro médico, 1.ª ed., São Paulo: Maltese, 1991.

MOLINA, L.G.; LUNARDELLI, R.S.A. O prontuário do paciente e os pressupostos arquivísticos: estreitas e profícuas interlocuções. Informação & Informação, Londrina, v. 15, n. 1, p. 68-84, jan. /jun. 2010.Real Academia Española. Diccionario Panhispánico de Dudas. 2005.

WALSH, K. E., GURWITZ J. H. Medical Abbreviations: Writing Little and Communicating Less. Archives of Disease in Childhood, v.93, n.10, p.816-817, out. 2008. Doi:10.1136/adc.2008.141473.

WHITTEMORE, Robin. Combining Evidence in Nursing Research. Nursing Research, [S.L.], v. 54, n. 1, p. 56-62, jan./fev. 2005. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/00006199-200501000-00008.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

PINTO, V. B.; DUARTE, A. M.; ARRUDA, J. A. S. L. de. Interferência no uso da redução léxica no contexto da saúde:: uma revisão integrativa. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 246–254, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57814. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Informação e desinformação: Impactos na vida humana e ecos sociais