Prevenção em comunicação:

o facebook da Sesab na pandemia da COVID-19

Autores

Palavras-chave:

Comunicação, Prevenção, Covid-19, Facebook, Análise de conteúdo, Coronavírus

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar os aspectos de prevenção presentes na comunicação institucional da Secretaria de Estado de Saúde da Bahia com referência à Covid-19 na principal rede social da secretaria, o Facebook, com um montante de 215,3 mil seguidores. O estudo busca coletar e classificar as postagens da Sesab na rede social a partir da Análise de Conteúdo, vislumbrando identificar de que forma a instituição destinou a comunicação para o seu público com respeito aos aspectos de combate e prevenção à Covid-19 evidenciados nas postagens do Facebook do órgão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Vasques Ferreira, Universidade Federal do Oeste da Bahia - UFOB

Doutora e Mestre em Comunicação pela Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB) Professora colaboradora do Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

Andrik Brito Viana, Universidade Federal do Oeste da Bahia - UFOB

Acadêmico em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

Marcio Carvalho, Universidade Federal do Oeste da Bahia - UFOB

 Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

Sarah Brandão, Universidade Federal do Oeste da Bahia - UFOB

Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

Referências

BARDIN, Laurence. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. BORDENAVE, Juan Díaz. O que é comunicação. S. Paulo: Brasiliense, 2002 (27a. ed.). p. 12-29; 35-41

BRASIL. IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Uso de internet, televisão e celular no brasil. Brasil: 2018. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/materias-especiais/20787-uso-de-internet-televisao-e-celular-no-brasil.html. Acesso em: 06 ago. 2020.

BUENO, Wilson da Costa. Comunicação empresarial: teoria e pesquisa. Barueri: Manole, 2003.

CAMPRICOLI, Fabiana. Brasil lidera pesquisas por temas de saúde no Google. Disponível em: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-lidera-aumento-das-pesquisas-por-temas-de-saude-no-google,70002714897. Acesso em: 11 ago. 2020

DUARTE, Jorge. Comunicação Pública. Disponível em: http://jforni.jor.br/forni/files/ComPúblicaJDuartevf.pdf. Acesso em:11 ago. 2020

FILIPE OLIVEIRA (Brasil). Folha de S. Paulo. Facebook chega a 127 milhões de usuários mensais no Brasil. 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/tec/2018/07/facebook-chega-a-127-milhoes-de-usuarios-mensais-no-brasil.shtml#:~:text=O%20Facebook%20atingiu%20a%20marca,maiores%20mercados%20para%20a%20companhia. Acesso em: 04 ago. 2020.

GARBIN, Helena Beatriz da Rocha; GUILAM, Maria Cristina Rodrigues; PEREIRA NETO, André Faria.Internet na promoção da saúde:um instrumento para o desenvolvimento de habilidades pessoais e sociais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, [S.L.], v. 22, n. 1, p. 347-363, 2012. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0103-73312012000100019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312012000100019&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 05 ago. 2020.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRAMACHO, Wladimir. Técnicas de Análise de Mídia Impressa. In Oficina da Escola de Verão Pesquisa em Comunicação na América Latina,UnB, Brasil. 2015.

G1-ECONOMIA. Mapeamento mostra aumento do consumo de mídia online no Brasil durante a quarentena. Brasil, 2020. Disponível em: http://g1.globo.com/economia/mídia-e-marketing/noticia/2020/04/16/mapeamento-mostra-aumenta-consumo-de-mida-online-no-brasil-durante-a-quarentena.ghtml. Acesso em: 05 ago. 2020.

HELOÍSA NEGRÃO. Folha de S. Paulo. Facebook registra tendência de queda no Brasil, diz Datafolha. Brasil, abr. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/04/facebook-registra-tendencia-de-queda-no-brasil-diz-datafolha.shtml. Acesso em: 06 ago. 2020.

HERSCOVITZ, Helena. Análise de Conteúdo em Jornalismo. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Márcia. Metodologia de Pesquisa em Jornalismo. Petrópolis, Vozes: 2007.

MACEDO, Rosayne. Doutor Google: 9 entre dez brasileiras pesquisam sobre saúde na internet. 2018. Disponível em: https://www.vidaeacao.com.br/ doutor-google-9-entre-dez-brasileiras-pesquisam-sobre-saude-na-internet/. Acesso em: 04 ago. 2020.

MARTINO, Luiz C. De qual comunicação estamos falando?. In: Antonio HOHLFELDT, Luiz C. MARTINO, Vera Veiga FRANÇA (Orgs.). Teorias da comunicação:conceitos, escolas e tendências.Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

RÁDIO SENADO: Pesquisa aponta que WhatsApp é a principal fonte de Informação de 79% dos entrevistados. [locução de]: Lívia Torres. [S. I.]: Senado Federal, 12 dez. 2019. Rádio online. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/radio/1/noticia/pesquisa-aponta-que-whatsapp-e-a-principal-fonte-de-informacao-de-79-dos-entrevistados. Acesso em 06 ago. 2020.

RECUERO, Raquel da Cunha.Comunidades em Redes Sociais na Internet: proposta de Tipologia baseada no Fotolog.com. 2006. 334f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2006. Disponível em: http://www.raquelrecuero.com/teseraquel. Acesso em 6 ago. 2020.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DABAHIA. Bahia está em 5º lugar no ranking nacional em isolamento social. Brasil 2020. Disponível em http://www.saude.ba.gov.br/2020/05/27/bahia-esta-em-5o-lugar-no-ranking-nacional-de-isolamento-social/. Acesso em 10 ago. 2020

Downloads

Publicado

2020-09-11

Como Citar

FERREIRA, F. V.; VIANA, A. B.; CARVALHO, M.; BRANDÃO, S. Prevenção em comunicação:: o facebook da Sesab na pandemia da COVID-19. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 403–411, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57787. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Comunicação, informação em rede e humanização: novas perspectivas