O bibliotecário e a Agenda 2030:

informação em tempos de pandemia

Autores

Palavras-chave:

Competência profissional, Desinformação, Pandemia

Resumo

Este trabalho tem por objetivo analisar o papel social e as competências do bibliotecário no combate à desinformação em tempos pandêmicos, alinhado as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentávelprevisto na Agenda 2030. Metodologicamente, este estudo se utilizou de uma pesquisa descritiva, de cunho qualitativo para fundamentar e elucidar as bases teóricas, asanálises e organização das informações sobre as plataformas e repositórios temáticos/institucionais sobre Covid-19 no Brasil, entre março e julho de 2020. Os resultados apontam que 12 deles impulsionam a disseminação e compartilhamento da informação científica e acadêmica gratuita em nível local, nacional e global sobre Covid-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hellinton Staevie dos Santos, Universidade Federal de Roraima - UFRR

Bacharel em Administração Pública pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Bacharel em
Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Bibliotecário da Universidade Federal de Roraima (UFRR). Orcid: https://orcid.org/0000-0003-4855-307X

Manuella Marinho Ferreira, Universidade Federal de Roraima - UFRR


Mestra em Ensino das Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Bacharela em
Biblioteconomia pela UFAM. Bibliotecária na Universidade Federal de Roraima (UFRR). Orcid: https://orcid.org/0000-0003-0683-317X

Naiara Raíssa da Silva Passos, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Bacharela em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Bibliotecária da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Orcid: https://orcid.org/0000-0003-1312-6545

Referências

BARROS, Lucivaldo Vasconcelos.Sustentabilidade ambiental e direito de acesso à informação verdadeira: de Estocolmo aos dias atuais. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, p. 2923-2940, 2017. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/860. Acesso em: 10 jun. 2020.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo:a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida:uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 2006.

CASTRO, César Augusto de. Profissional da informação: perfis e atitudes desejadas. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 10, n. 1, p. 142-156, 2000. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/90960. Acesso em: 16 jun. 2020.

LANCASTER, Frederick Wilfrid. Ameaça ou oportunidade? o futuro dos serviços de biblioteca a luz das inovações tecnológicas. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v.23, n.1, p. 7-27, jan./jun. 1994. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/76637. Acesso em: 20 jun. 2020.

MORAES, Fabiano; VALADARES, Eduardo; AMORIM, Marcela Mendonça. Alfabetizar letrando na biblioteca escolar. São Paulo: Cortez, 2013. (Coleção biblioteca básica de alfabetização e letramento).

PERRENOUD, Philippe. Desenvolver competências ou ensinar saberes? A escola que prepara a vida. Porto Alegre: Penso, 2013.PNUD. Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). 2015. Disponível em: https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/. Acesso em: 10 jun. 2020.

SOUTO, Sônia Miranda de Oliveira. O profissional da informação frente às tecnologias do novo milênio e às exigências do mundo do trabalho. Salvador: Cinform, 2003.

ZARIFIAN, Philippe. O modelo da competência: trajetória histórica, desafios atuais e propostas. São Paulo: SENAC/SP, 2003. In.ZARIFIAN, Philippe.Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

SANTOS, H. S. dos; FERREIRA, M. M.; PASSOS, N. R. da S. O bibliotecário e a Agenda 2030: : informação em tempos de pandemia. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 429–437, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57764. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Comunicação, informação em rede e humanização: novas perspectivas