Rio de Janeiro, México, Caracas: cidades universitárias e modernidades 1936 - 1962

Autores

  • Hugo Segawa

Resumo

Os anos imediatos pós-2ª Guerra foram excepcionais na consolidação de estruturas universitárias na América Latina. Três das mais importantes cidades universitárias foram realizadas segundo diferentes preceitos de modernidade: Rio de Janeiro. México e Caracas. Nos anos 1930 diferentes anteprojetos de cidades universitárias para o Rio de Janeiro – de Le Corbusier, Lúcio Costa e Marcello Piacentini – deixaram de ser aproveitados. Jorge Moreira liderou a equipe de planejamento da cidade universitária da então Universidade do Brasil, que se efetivou a partir de 1949, segundo as doutrinas do urbanismo preconizadas pelos CIAMs, constituindo um dos mais evidentes exemplos de paisagem urbana nos moldes ideados por Le Corbusier. Mario Pani e Enrique del Moral conduziram. A partir de 1949, uma equipe de cerca de 70 arquitetos que projetou a Cidade Universitária da UNAM, na Cidade do México, desenvolvendo um núcleo urbano no qual elementos das cidades pré-hispânicas e referências arquitetônicas e construtivas desse passado remoto combinavam-se com a modernidade de inspiração corbusiana e com a arte engajada do muralismo mexicano, numa simbiose entre tradição, modernidade e nacionalismo. Carlos Raúl Villanueva, ao desenvolver o plano da Cidade Universitária da Universidad Central de Venezuela, a partir de 1943, buscou a síntese das artes, ao conceber o espaço universitário como um museu de arte ao ar livre da vanguarda artística do período, convocando artistas como Calder, Laurens, Vasarely, Léger, Soto, Lam e outros para participarem da mais ousada proposta de integração arte/arquitetura do continente. Diferentes modernidades caracterizaram a formulação arquitetônica e urbanística das três cidades universitárias, pontos altos da nova tradição da síntese das artes da arquitetura moderna de meados do século XX na América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-10-06

Como Citar

Segawa, H. (2008). Rio de Janeiro, México, Caracas: cidades universitárias e modernidades 1936 - 1962. RUA: Revista De Arquitetura E Urbanismo, 5(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/rua/article/view/3133

Edição

Seção

Artigos