Política de habitação e populismo: o caso da Fundação da Casa Popular

Autores

  • Marcus André B. C. de Melo

Resumo

Busca-se reconstituir a trajetória histórica da Fundação da Casa Popular a partir de uma análise minuciosa de fontes primárias. São discutidos o processo decisório subjacente à instituição da FAP e as relações mais amplas entre a política de habitação e os arranjos políticos populistas. Ao contrário do que geralmente se supõe, a FCP se constitui um resíduo de um grande projeto de política habitacional gestado durante o Estado Novo e que foi vetado por uma coalizão ampla de interesses sociais (que renascerá das cinzas com o projeto do BNH), o que explica, isso sim, sua fragilidade. A FCP também não se constituiu, como se afirma, uma agência tipicamente urbana associada à urbanização acelerada e incorporação de massas populares ao sistema político, mas antes uma agência de vocação rural captada por oligarquias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-09-18

Como Citar

Melo, M. A. B. C. de. (2008). Política de habitação e populismo: o caso da Fundação da Casa Popular. RUA: Revista De Arquitetura E Urbanismo, 3(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/rua/article/view/3105

Edição

Seção

Artigos