O Oásis de Niemeyer: uma vila brasileira dos anos 50

Autores

  • Carlos Eduardo Dias Comas

Resumo

Situada numa encosta de morro arborizada nos arredores do Rio de Janeiro, a Vila Canoas ou Casa Canoas, como é mais conhecida – projetada por Oscar Niemeyer, em 1953, para sua família –, é uma jóia da arquitetura moderna brasileira, tendo como predecessor o Pavilhão Brasileiro de 1938, projetado por Niemeyer e Lúcio Costa, em que prevalece a dualidade sinuosidade/bloco reto. A Vila não é como a Casa Fansworth de Mies van der Rohe, um prédio compacto cúbico que se destaca da natureza com supelfícies lisas homogêneas claramente definidas, horizontal e abstrato tal qual o terreno alagadiço sobre o qual se assenta; muito menos como a Casa da Cascata de Frank Lloyd Wright, que enfatiza a continuidade entre construção e natureza, junção que cria a arquitetura, a natureza a servir-lhe de base. Na Vila, Niemeyer manifesta a necessidade de expressá-Ia através da arquitetura e da natureza, uma se contaminando pelas características da outra, arquitetura como uma paisagem artificial inscrita na natureza não perturbada. Destarte, uma pedra incorpora-se à construção, enquanto elementos arquitetônicos são sujeitos a uma estilização biomórfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-10-06

Como Citar

Comas, C. E. D. (2008). O Oásis de Niemeyer: uma vila brasileira dos anos 50. RUA: Revista De Arquitetura E Urbanismo, 5(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/rua/article/view/3132

Edição

Seção

Artigos