A SOLIDÃO DA MULHER IDOSA SOB A PERSPECTIVA DE SAMUEL BECKETT

Em busca de um Empoderamento Feminino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v12i1.55090

Palavras-chave:

artista feminista, solidão, mulher idosa, empatia

Resumo

Este artigo aborda o trabalho de uma atriz no contexto da peça radiofônica "Todos os que Caem" de Samuel Beckett. A personagem principal, Maddy Rooney, foi adaptada para um espetáculo de formatura do curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Nessa adaptação, explorou-se as experimentações de uma atriz feminista na sociedade contemporânea, trazendo à tona a questão da solidão vivenciada por mulheres idosas. Durante o processo de criação da personagem, a atriz se inspirou no estudo sobre a solidão na terceira idade, que afeta as atividades diárias e o bem-estar das mulheres idosas. O objetivo desse estudo foi examinar a solidão nesse estágio da vida, analisando sua relação com o sentimento de abandono, a falta de paciência e a melancolia, sob a perspectiva da encenação teatral. O propósito desse artigo é promover uma mudança de visão tanto para as mulheres idosas que enfrentam o isolamento, mostrando-lhes a possibilidade de rir de si mesmas e com elas mesmas, quanto para os jovens, incentivando um relacionamento intergeracional baseado na empatia com a protagonista da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Jade Pohl Sanches, UFBA

Graduada no curso de Teatro Licenciatura da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (2015 - 2018). Graduada no curso de Pedagogia - Licenciatura Plena da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) (2019 - 2020). Graduada do curso de Educação Especial Diurno - Licenciatura Plena na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (2019 - 2023). Graduanda no curso de Letras - Português e Letras Inglês na Faculdade Estácio de Sá (RJ) (2021 - Atual). Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional na Universidade Franciscana (UFN) (2021 - 2022). Especialista em Administração, Orientação e Supervisão Escolar no Instituto Brasileiro de Formação (UNIBF) (2021 - 2022). Especialista em Letras e LIBRAS na Faculdade de Venda Nova do Imigrante (FAVENI) (2021 - 2022). Pós - Graduanda em Transtorno do Espectro Autista pela União de Ensino Superior do Vale do Ivaí (UNESVI) (2022 - Atual). Mestranda em Educação com a linha de pesquisa: Linguagem, Subjetivações e Práxis Pedagógica na Universidade Federal da Bahia (UFBA) (2023 - Atual).

Fernando Russo Costa do Bomfim, FHO - Centro Universitário da Fundação Hermínio Ometto

Doutor (2018) em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Ciência Cirúrgica Interdisciplinar do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM) na linha de Pesquisa de laser em Cirurgia com ênfase em biologia molecular. Foi Professor supervisor do Estágio em Biologia Molecular e Análises Clínicas do Curso de Biomedicina da Fundação Hermínio Ometto - UNIARARAS. Foi professor da Anhanguera Educacional campus Limeira e campus Rio Claro. Atualmente exerce a função de Coordenador dos Cursos de Especialização em Hematologia Clínica e Banco de Sangue e Hemoterapia do Centro Universitário da Fundação Hermínio Ometto. Atua principalmente em: laser de baixa e alta potência, modelos experimentais de artrite, cultura de células, células ósseas, imunocitoquímica, morfologia e análises moleculares com ênfase em expressão gênica e proteica. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Biociências Nucleares (SBBN).

Referências

REFERENCIAS

BECKETT, S. Todos Os Que Caem. Cadernos de teatro, n. 121. Rio de Janeiro: Tablado, abril a junho, 1989

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

EVARISTO, C. Olhos D’água. Rio de Janeiro: Pallas: Fundação Biblioteca Nacional,116p, 2014.

FRATESCHI, Y. Filosofia e humanidades: as blindagens de uma historiografia sexista. discurso, v. 52, n. 1, p. 28–44-28–44, 2022.

FRASER, N. O feminismo, o capitalismo e a astúcia da história. Mediações-Revista de Ciências Sociais, 2009.

GOLDENBERG, M. Corpo, envelhecimento e felicidade na cultura brasileira. Contemporânea (Título não-corrente), v. 9, n. 2, 2011.

HOOKS, B. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2017.

LEAL, T. O sentimento que nos faz irmãs: construções discursivas da sororidade em mídias sociais. Revista ECO-Pós, v. 23, n. 3, p. 139-164, 2020.

POUGY, L. Referências teóricas necessárias à intervenção com mulheres que sofrem violência. Revista da EMERJ, v. 15, n. 57, p. 155-172, 2012.

Downloads

Publicado

2024-04-23

Como Citar

POHL SANCHES, M. J.; COSTA DO BOMFIM, F. R. . A SOLIDÃO DA MULHER IDOSA SOB A PERSPECTIVA DE SAMUEL BECKETT: Em busca de um Empoderamento Feminino. Revista Feminismos, [S. l.], v. 12, n. 1, 2024. DOI: 10.9771/rf.v12i1.55090. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/55090. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Ensaios