CAPITALISMO, PATRIARCADO E RACISMO

Revisitando o lugar da mulher na formação socio-histórica brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v11i1.51278

Palavras-chave:

capitalismo, patriarcado, racismo

Resumo

Este texto pretende se debruçar sobre a relação capitalismo, patriarcado e racismo e desta forma possa analisar a história sem os véus do colonialismo que embasa a ciência, a história e as violações de direitos expressas no cotidiano das mulheres no Brasil, em particular das mulheres negras. O resgate do processo de colonização nos oferece informações valiosas para entender o desenvolvimento de elementos históricos que acarretaram as raízes da questão social. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliogéfica e documental. O que nos levou a uma releitura crítica da nossa formação social e a compreender como o patriarcado, o racismo são funcionais ao capitalismo periférico brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Pacheco de Mesquita, UFAL

Assistente Social graduada pela Universidade Estadual do Ceará, Mestra em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Doutora em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo na Universidade Federal da Bahia. Líder do Grupo de Pesquisa FRIDA KAHLO - Estudos de Gênero, Feminismos e Serviço Social. Professora Adjunta da Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Alagoas dos cursos de Graduação e Pós-graduação. 

Laura Juliana dos Santos Cassiano, UFAL

Assistente Social formada pela UFAL e Mestranda pelo PPGSS-UFAL

Referências

AGUIAR, Neuma. Perspectivas feministas e o conceito de patriarcado na sociologia clássica e no pensamento sociopolítico brasileiro. In: AGUIAR, Neuma (org.) Gênero e Ciências Humanas: desafio às ciências desde a perspectiva das mulheres. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 1997. p. 161-191.

ARRUZA, Cinzia. Considerações sobre gênero: reabrindo o debate sobre patriarcado e/ou capitalismo. Outubro, v. 23, p. 33-58, 2015. Disponível em: http://outubrorevista.com.br/wp-content/uploads/2015/06/2015_1_04_Cinzia-Arruza.pdf . Acesso em: 5 jan. 2021.

ARRUZZA, Cinzia; BHATTACHARYA, Tithi; FRASER, Nancy. Feminismo para os 99%: um manifesto. São Paulo: Boitempo, 2019.

CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. São Paulo: Pólen. 2019.

CISNE, Mirla; SANTOS Silvana Mara Moraes dos. Feminismo, diversidade sexual e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2018.

DEL PRIORE, Mary. A mulher na história do Brasil: raízes históricas do machismo brasileiro, a mulher no imaginário social, “lugar de mulher é na história”. São Paulo: Contexto, 1988.

ELEIÇÕES 2018: bancada evangélica cresce na Câmara e no Senado. Diap.org.br, 18 out. 2018. Disponível em: https://www.diap.org.br/index.php/noticias/noticias/88900-eleicoes-2018-bancada-evangelica-cresce-na-camara-e-no-senado. Acesso em: 22 nov. 2020.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil. Ensaio de Interpretação Sociológica. 5 ed. São Paulo: Globo, 2006.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & Senzala. [S.l.]: Global, 2003.

GALDIM, José Roberto. Eugenia. Página de Bioética, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: https://www.ufrgs.br/bioetica/eugenia.htm. Acesso em: 10 jun. 2021.

GONZALES, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Ciências Sociais Hoje, Rio de Janeiro, Anpocs, p. 223-244, 1984.

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano [1988]. Caderno de Formação Política do Círculo Pamarino, n. 1, 2011.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

NASCIMENTO, Maria Beatriz. Por uma História do Homem Negro. In: RATTS, Alex. Eu sou Atlântica: sobre a Trajetória de Vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Imprensa Oficial/Kuanza, 2006. p. 93-98.

NETTO, Leila Escorsim. O conservadorismo clássico: elementos de caracterização crítica. São Paulo: Cortez, 2011.

NETTO, José Paulo. José Paulo Netto. Ensaios de um Marxista sem repouso. Seleção, organização e apresentação Marcelo Braz. São Paulo, Cortez, 2017.

O NEGRO da senzala ao soul. Produção Gabriel Priolli. Documentário realizado pelo Departamento do Jornalismo da TV Cultura de São Paulo, 1977. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5AVPrXwxh1A. Acesso em 05 jan. 2021.

PERROT, Michelle. Escrever a histórias das mulheres. In: PERROT, Michelle. Minha História das Mulheres. São Paulo: Contexto, 2007.

PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. São Paulo: Brasiliense, 2004. 7ª reimpressão da 23ª ed.

PRIORE, Mary Del. A Mulher Na Historia do Brasil. São Paulo, Contexto,

REZENDE, Daniela Leandro. Patriarcado e formação do Brasil: uma leitura feminista de Oliveira Vianna e Sérgio Buarque de Holanda. Pensamento Plural, n 17, p 07-27, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/pensamentoplural/article/view/6568. Acesso em: 29 nov. 2020.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. A mulher na sociedade de classes. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SILVA, Ivone Maria Ferreira da. Questão Social e serviço social no brasil: fundamentos sócio-históricos. 2. ed. Campinas: Papel Social, Cuiabá, MT:EdUFMT, 2014.

VIANA, Oliveira. Populações Meridionais do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2005.

WEBER, Max. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Trad. Regis Barbosa e Karen. 4. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 2012. p. 233 - 287.

Downloads

Publicado

2023-10-19

Como Citar

DE MESQUITA, A. P. .; CASSIANO, L. J. dos S. . CAPITALISMO, PATRIARCADO E RACISMO: Revisitando o lugar da mulher na formação socio-histórica brasileira. Revista Feminismos, [S. l.], v. 11, n. 1, 2023. DOI: 10.9771/rf.v11i1.51278. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/51278. Acesso em: 22 fev. 2024.