DA DUPLA MORAL SOCIAL AO SACRIFÍCIO VICÁRIO EM A DAMA DAS CAMÉLIAS, DE ALEXANDRE DUMAS FILHO, E LUCÍOLA, DE JOSÉ DE ALENCAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i2%20e%203.49238

Palavras-chave:

Prostituição. Mulheres na literatura. Cotidiano. Século XIX.

Resumo

Esse artigo analisa a dupla moral social e o sacrifício vicário nos romances A dama das camélias, de Alexandre Dumas Filho, e Lucíola, de José de Alencar. Ambos trazem autores masculinos abordando sobre as relações entre cortesãs de luxo e sua abastada clientela, em duas emblemáticas cidades. O grau de elaboração dos textos, com riqueza de detalhes e caracterizações, demonstra o quanto a literatura é importante para problematizar sobre a realidade de grupos sociais envolvidos em práticas relacionais marcadas por uma dupla moralidade que expõe a hipocrisia das sociedades brasileira e francesa do século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

César Martins de Souza, Universidade Federal do Pará.

Doutor e Pós-Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense. Professor do Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes da Amazônia e do Campus de Bragança, ambos da UFPA. Editor-Chefe da Nova Revista Amazônica/UFPA. Investigador Externo do CEAR/Universidad de Quilmes-Argentina. 

 

Gutemberg Armando Diniz Guerra, Universidade Federal do Pará

Professor associado da Universidade Federal do Pará (UFPA). Engenheiro agrônomo (UFBA), especialista em Métodos de Planejamento Urbano e Regional (SEPLANTEC-BAHIA), Mestre em Planejamento do Desenvolvimento (PLADES-NAEA-UFPA), Doutor em Socioeconomia do Desenvolvimento (EHESS-Paris). Pós doutor (Columbia University - New York/USA).

Neide Maria Fernandes Rodrigues de Sousa, Universidade Federal do Pará

Doutora em Educação.  Professora  da Universidade Federal do Pará- UFPA.

Referências

ALENCAR, José de. Lucíola. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2018.

BELLO, João Alfredo Dal. História e Literatura: referências e reverências. Letras. Curitiba, n. 49, p. 21-34, 1998.

DUMAS FILHO, Alexandre. A dama das camélias. São Paulo: Saraiva, 1953.

LAGRAVE, RM. Le village romanesque: 1950-1960. Arles-França: Le Paradou, Bouches du Rhône, Actes Sud, 1980.

MATOS, Maria Izilda. História das mulheres e das relações de gênero: campo historiográfico, trajetórias e perspectivas. Mandrágora, São Paulo, v. 19, n. 9, p. 1-15, 2013.

MENEZES, Magali Mendes de. Por que as mulheres e a Filosofia. In: CARVALHO, M. J. S.; ROCHA, C. M. F. (orgs.). Produzindo gênero. Porto Alegre: Sulina, 2004, p. 122-132.

NÓBREGA, Terezinha Petrucia da. Corporeidades... Inspirações Meleau-Pontianas. Natal: Editora do IFRN, 2016. Disponível em https://memoria.ifrn.edu.br/bitstream/handle/1044/970/CORPOREIDADE_EBOOK_OK.pdf?sequence=1;Page#page=287. Acesso em: 15.10.20.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo, n. 10, p. 7-28, 1993.

PARADIS, Clarisse Goulart. A prostituição no marxismo clássico: crítica ao capitalismo e à dupla moral burguesa. Estudos feministas, Florianópolis, v. 26, n. 3, p. 1-20, 2018.

PERROT, Michelle. Os excluídos na História: operários, mulheres, prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

PORTO, Angêla. Representações sociais da tuberculose: estigma e preconceito. Revista Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 41, supl. 1, p. 43-49, 2007.

RONDINELLI, Bruna Giselda da Silva. A dama das camélias desembarca no Rio de Janeiro: encenações e recepção crítica. Miscelânea, Assis, v. 14, p. 101-121, 2013.

SANTOS, Silvia Pereira. Caminhos do drama burguês: de Diderot a Alexandre Dumas Filho. Darandina, Juiz de Fora, v. 2, n. 1, p. 1-15, 2008. Disponível em https://www.ufjf.br/darandina/files/2010/02/artigo20a.pdf. Acesso em 13.10.20.

SARAIVA, Luiz Junior Costa. Lúcia, Maria, Carmem: mulheres em trânsito. Dissertação (Mestrado em Antropologia). Belém: UFPA/CFCH/DEAN, 2002

SARAIVA, Luis Junior Costa. O renascer de Vénus: prostituição, trabalho e saúde em tempos de Sida. Lisboa: ICS-Universidade de Lisboa, 2014.

SILVA, Maria Teresinha da. Alexandre Dumas: leituras machadianas e permanência do escritor na atualidade. Garrafa, Rio de Janeiro, v. 17, n. 47, p. 280-301, 2019.

SCHOENBORN, Ulrich. “Crucificado sob Pôncio Pilatos”: a busca de sentido na interpretação da morte de Jesus no Novo Testamento. Estudos Teológicos. São Leopoldo, v. 35, n. 1, p. 52-66, 1995.

TAVERNARD, Antônio. Fêmea. Belém: Editora Paka-Tatu, 2011.

TRONCA, Ítalo. Foucault e a linguagem delirante da memória. In: RAGO, M.; ORLANDI, L. L. B.; VEIGA-NETO, A. (orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005, p. 199-216.

Downloads

Publicado

2022-10-17

Como Citar

MARTINS DE SOUZA, C.; DINIZ GUERRA, G. A. . .; FERNANDES RODRIGUES DE SOUSA, N. M. . DA DUPLA MORAL SOCIAL AO SACRIFÍCIO VICÁRIO EM A DAMA DAS CAMÉLIAS, DE ALEXANDRE DUMAS FILHO, E LUCÍOLA, DE JOSÉ DE ALENCAR. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 2 e 3, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i2 e 3.49238. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/49238. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos