BEM ME QUERO, MAL ME QUEREM: O GRAVAME IMPOSTO AS MULHERES EM TEMPOS DE PANDEMIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v9i3.45589

Resumo

O presente estudo circunda inicialmente o papel do cuidado imposto à mulher, além da imposição social destinado ao sexo feminino ao âmbito privado, enquanto para o homem sempre houveram privilégios para se inserir na seara pública. Desta feita, analisa-se como esta problemática estrutural dificulta a inserção da mulher na vida pública, e principalmente, quais os efeitos nefastos que as mulheres vem passando neste período pandêmico, já que se foi intensificada a sobrecarga do cuidado com o outro (parentes, filhos e pessoas próximas), além dos afazeres domésticos, combinado ao desemprego, e consequentemente o surgimento de problemas físicos e psicológicos. Por fim, decorreremos sobre as politicas que foram, ou não, desenvolvidas para mitigar os efeitos causados pelo isolamento social.

Palavras-chaves: Pandemia COVID-19; Desigualdade de gênero; papel do cuidado; Sobrecarga feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

RAFAELLA ALVES NOGUEIRA, universidade federal de Pernambuco

Rafaella Nogueira, 24 anos, bacharel formada em Serviço Social pela universidade federal de pernambuco

Referências

ABREU, Fernanda; MARQUES, Fernanda; DINIZ, Ilidiana. Divisão sexual do traba-lho entre homens e mulheres no contexto da pandemia do COVID-19. Inter-Legere, v. 3, n. 28,p.1-22. 2020 .Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/21486/13161 > Acesso em: 25 de mai. de 2021.

BARROSO, Hayeska Costa; GAMA, Mariah Sá Barreto. A crise tem rosto de mulher: como as desigualdades de gênero particularizam os efeitos da pandemia do COVID-19 para as mulheres no Brasil. Revista do Ceam, Brasília, v. 6, n. 1, p. 84-94, jan./jul. 2020. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/39554/1/ARTIGO_CriseRostoMulher.pdf> Acesso em: 25 de mai. de 2021.

BRASIL. Lei n.º 14.022, de 07 de julho de 2020. Dispõe sobre medidas de enfrenta-mento á violência doméstica e familiar contra mulher,crianças,adolescentes,idosos e pessoas com deficiência durante a emergência de importância internacional decor-rente do coronavírus. Diário Oficial da União. Brasília, DF, n.129, p.3, 08 ago.,2020. Seção 1. pt.1.

BRASIL. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Ações e politicas para as mulheres no marco da pandemia de COVID-19. Brasília: MMFDH, 2020.

FERREIRA, Lola. Pouco dinheiro gasto por ministério de Damares em 2020 impacta mulheres e LGBTQIA+ e gera temor sobre futuro da pasta. Gênero e número. 14 de jan. de 2021. Disponível em: <https://www.generonumero.media/orcamento-damares-2020-mulheres-lgbt/>. Acesso em: 27 de mai. de 2021.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua 2020. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Dis-ponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/habitacao/9173-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral.html?edicao=29516&t=destaques>. Acesso em: 28 de mai. de 2021.

IBGE- INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua 2021. Rio de Janeira: IBGE, 2021. Dis-ponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/habitacao/9173-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral.html?edicao=30789&t=destaques>. Acesso em: 28 de mai. de 2021.

LAGES, Joana Pestana; JORGE, Silvia. Crise pandémica e crise na habitação: mu-lheres em foco. DINÂMIA’CET-Iscte, 2020. Disponível em: <https://tuhat.helsinki.fi/ws/portalfiles/portal/158751876/Crise_Pandemica_Crise_Habitacao_umguia_2020_final.pdf#page=88 > Acesso em: 30 de mai. de 2021.

MELO, Hildete Pereira de; MORANDI, Lucilene. A divisão sexual do trabalho no contexto da pandemia. Trabalho Necessário, v. 19, n. 38, p. 105-125, jan./abr. 2021. Disponível em: <https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/45884/28409 > Acesso em: 02 de jun. de 2021.

MIGUEL, Luis Felipe; BIROLI, Flávia. Feminismo e política. São Paulo: Boitempo, 2014.

MULHERES são as maiores vítimas da pandemia no mercado de trabalho. Portal Geledés. 22 de dez. de 2020. Disponível em: <https://www.geledes.org.br/mulheres-sao-as-maiores-vitimas-da-pandemia-no-mercado-de-trabalho/>. Acesso em: 05 de jun. de 2021.

OECD. (2020). Response, recovery and prevention in the coronavirus (COVID-19) pandemic in developing countries: women and girls on the frontlines. Paris: OECD. Disponível em: https://www.oecd.org/coronavirus/policy-responses/response-recovery-and-prevention-in-the-coronavirus-covid-19-pandemic-in-developing-countries-women-and-girls-on-the-frontlines-23d645da/. Acesso em: 24 de jun. de 2021.

OECD. (2021). Towards gender- inclusive recovery. Paris: OECD. Disponível em: https://www.oecd.org/coronavirus/policy-responses/towards-gender-inclusive-recovery-ab597807/. Acesso em: 24 de jun. de 2021.

SEM parar: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia. Rio de Janeiro: Gênero e nú-mero. v.1, p.54, 2020. Disponível em: <http://mulheresnapandemia.sof.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Relatorio_Pesquisa_SemParar.pdf>. Acesso em: 17 de jun. de 2021.

SILVA, Juliana Marcia Santos; CARDOSO, Vanessa Clemente; ABREU, Kamila Eulá-lio; SILVA, Livia Souza. A feminização do cuidado e a sobrecarga da mulher-mãe na pandemia. Revista Feminismos, v. 8, n. 3, p. 149-161, set./dez. 2020. Disponível em : < https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/download/42114/23913 >. Acesso em: 10 de jun. de 2021.

SOUZA, Alex Sandro Rolland; SOUZA, Gustavo Fonseca de Albuquerque; PRACI-ANO, Gabriella de Almeida Figueredo. A saúde mental das mulheres em tempos da COVID-19. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 20, n. 3, jul./set. 2020. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbsmi/a/jxZhPTbgdcGMYcCPYtqDfNx/?lang=pt>. Acesso em: 09 de jun. de 2021.

VIEIRA, Pâmela Rocha; GARCIA, Leila Posenato; MACIEL, Ethel Leonor Noia. Iso-lamento social e o aumento da violência doméstica: o que isso nos revela? Revista Bras Epidemiol, v. 23, p. 1-5, 2020. Disponível em: <https://www.scielosp.org/pdf/rbepid/2020.v23/e200033/pt>. Acesso em: 15 de jun. de 2021.

RAZÕES pelas quais o impacto do coronavirus sobre as mulheres é maior. Oxfam Brasil. São Paulo, 31 de mar. de 2020. Disponível em: <https://www.oxfam.org.br/blog/6-razoes-pelas-quais-o-impacto-do-coronavirus-sobre-as-mulheres-e-maior/>. Acesso em: 19 de jun. de 2021.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

NOGUEIRA, R. A. BEM ME QUERO, MAL ME QUEREM: O GRAVAME IMPOSTO AS MULHERES EM TEMPOS DE PANDEMIA. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v9i3.45589. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45589. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos