Carta ao meu pai: em direção a uma consciência feminista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i1.45575

Resumo

O artigo, construído em formato de carta, se inspira na realidade de muitas mulheres de nosso país. Aborda a experiência de abandono paterno de uma filha que, a partir do seu contato com teorias feministas, percebe e questiona as consequências da falta de paternagem ao longo de sua vida. Em busca da construção e da ampliação de uma consciência feminista, a carta apresenta um conjunto de reflexões direcionadas ao pai, morto recentemente vítima da COVID-19, e a outros homens. A reflexão perpassa às diferenças de classe, raça e gênero de forma interseccionada, aborda o cotidiano da reprodução da vida e ressalta a importância dos feminismos, enquanto posicionamento político, para a construção de relações mais igualitárias e justas. Conclui-se ressaltando, entre outros aspectos, a urgência de que homens assumam e compartilhem as responsabilidades no que se refere ao cuidado das crianças e do lar.

 

Palavras-chave: paternagem, reprodução da vida; patriarcado; consciência feminista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tamiê Pages Camargo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Graduada em música licenciatura e mestra em educação e pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Doutoranda em música pelo programa de Pós Graduação em Música da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Livian Lino Netto, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação na Universidade Federal de Pelotas  - bolsista CAPES. Mestra em Educação pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense e Licenciada e bacharela em Ciências Sociais pela UFPel.

Diônvera Coelho da Silva, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Psicóloga pela Universidade Federal
do Rio Grande (FURG), Engenheira Agrônoma e Mestra em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas
(UFPel). Integrante do grupo de pesquisa "Mariposas: minorias sociais, resistências e práticas de transformação"
(UFPel) e do "Coletivo bell hooks: Psicologia e Políticas do Cuidado" da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Isabella Alves Guimarães, Universidade Federal de Pelotas

Graduanda em Antropologia Social e Cultural na Universidade Federal de Pelotas.

Andressa Farias Barrios, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em da Universidade Federal de
Pelotas, Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio
Grande, Licenciada em Artes Visuais Universidade Federal do Rio Grande.

Julia Rocha Clasen, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Pelotas. Mestra em educação. Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pelotas.

Álvaro Veiga Júnior, Universidade Federal de Pelotas

Pedagogo pela Universidade Luterana do Brasil-RS e bacharel em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas-RS. Especialista em Ecologia Humana, pela Universidade Vale dos Sinos-RS e Especialista em Formação para Magistério e Metodologia de Ensino, pelas Faculdades Integradas de Amparo-SP. Mestre em Educação Ambiental, pela Universidade Federal do Rio Grande-RS; e Mestre em Educação, pela Universidade Federal de Pelotas. Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Pelotas.

Aline Accorssi, Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Psicóloga, Especialista em Gestão Social, Mestra em Psicologia Social e da Personalidade, Doutora em Psicologia. Professora da Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Educação, Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós Graduação em Educação.

Referências

BIROLI, Flávia. Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil. Boitempo Editorial, 2018.

FEDERICI, Silvia. O patriarcado do salário: notas sobre Marx, gênero e feminismo (v.1). São Paulo: Boitempo, 2021.

hooks, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 2019a.

hooks, bell. Teoria Feminista: Da margem ao centro. São Paulo: Perspectiva. 2019b.

hooks, bell. E eu não sou uma mulher?: Mulheres Negras e Feminismo. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 2019c.

hooks, bell. Tudo sobre o Amor. São Paulo: Elefante, 2020.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, patriarcado e violência. São Paulo: Editora Fundação

Perseu Abramo, 2004.

VERGÈS, Françoise. Um feminismo decolonial. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

PAGES CAMARGO, T.; LINO NETTO, L.; COELHO DA SILVA, D.; ALVES GUIMARÃES, I.; FARIAS BARRIOS, A.; ROCHA CLASEN, J.; VEIGA JÚNIOR, Álvaro; ACCORSSI, A. Carta ao meu pai: em direção a uma consciência feminista. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i1.45575. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45575. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Ensaio