EXPERIÊNCIAS DO TRABALHO INTERSETORIAL NO ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NO CONTEXTO DA PANDEMIA DE COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i1.45443

Resumo

O texto narra a experiência de militância e trabalho de uma rede estadual de enfrentamento da violência contra as mulheres, além dos procedimentos tomados para o acolhimento inicial de um caso atendido em um serviço especializado que integra a rede de atendimento às mulheres em situação de violência, durante a pandemia de Covid-19 no Brasil. Mesmo no contexto de crise sanitária, política, social e econômica, a rede reagiu de forma criativa, produzindo coesão, ações estratégicas e mobilização em torno da violência; aspectos semelhantes requeridos para o atendimento do caso pela equipe interdisciplinar. Ao apresentar essas experiências procuramos apontar alguns desafios para o trabalho em rede, na tentativa de contribuir para o aprimoramento das práticas coletivas que visam a garantia dos direitos das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Pereira Santos, Instituto René Rachou/Fiocruz Minas

Pós-doutoranda - Instituto René Rachou/Fiocruz Minas. Psicóloga - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/PUC Minas. Mestre em Educação - Universidade Federal de Viçosa/UFV. Doutora em Psicologia - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/PUC Minas. 

Viviane Coelho Moreira, Anis - Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero.

Kate Aparecida Rocha Lacerda, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - Prefeitura de Belo Horizonte e Instituto René Rachou/Fiocruz Minas

Isabella Vitral Pinto, Instituto René Rachou - Fiocruz Minas

Tecnologista - Instituto René Rachou/Fiocruz Minas. Farmacêutica - Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Mestre em Saúde Pública - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca/Fiocruz. Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Saúde Pública - Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. 

Paula Dias Bevilacqua, Instituto René Rachou/ Fiocruz Minas

Especialista em Ciência e Tecnologia, Inovação e Produção em Saúde Pública - Instituto René Rachou/ Fiocruz Minas. Médica Veterinária - Universidade Federal de Viçosa/UFV. Mestre em Medicina Veterinária - Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Doutora em Ciência Animal - Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. 

Referências

BRASIL. Plano Nacional de Políticas para Mulheres. 2005. [online]. Disponível em: https://oig.cepal.org/sites/default/files/brasil_2013_pnpm.pdf. Acesso em: 14 de julho de 2021.

BRASIL. Lei n. 11.340, de 7 de agosto de 2006. [online]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm. Acesso em: 14 de julho de 2021.

BRASIL. Pacto Nacional pelo Enfrentamento da violência contra as mulheres. 2011a. [online]. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/pacto-nacional-pelo-enfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres. Acesso em: 14 de julho de 2021.

BRASIL. Política nacional de Enfrentamento da violência contra as mulheres. 2011b. [online]. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/politica-nacional-de-enfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres. Acesso em: 14 de julho de 2021.

BRASIL. Rede de enfrentamento à violência contra as mulheres. 2011c. [online]. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/rede-de-enfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres. Acesso em: 14 de julho de 2021.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ. Relatório: o poder judiciário no enfrentamento à violência doméstica e familiar contra as mulheres. [online]. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/wpcontent/uploads/conteudo/arquivo/2019/08/7b7cb6d9ac9042c8d3e40700b80bf207.pdf. Acesso em: 14 de julho de 2021.

GOVERNO DE MINAS GERAIS. Subsecretaria de Políticas para Mulheres – SPM-MG/ Sedpac. Plano Decenal de Políticas para Mulheres. BORGES, Larissa Amorim; SALEJ, Ana Paula; DIAS, Eliane (Org.). Belo Horizonte: 2018.

HOOKS, bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Elefante, 2019.

LEOCÁDIO, Elcylene; LIBARDONI, Marlene. (Org.). O desafio de construir redes de atenção às mulheres em situação de violência. Brasília: Agende, 2006.

MERCOCIUDADES. Seminario Web: Violencia de Género en Contexto de Pandémia, 2020, Montevideo: Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM) e Aliança Euro-latinoamericana de Cooperação entre Cidades (AL-LAs). Tema: Mercociudades-Género y Municipio.

MINAS GERAIS. Corregedoria-Geral de Justiça. Recomendação no 4, de 26 de junho de 2020, Recomenda a adoção de medidas visando reduzir os impactos da violência doméstica e familiar para mulheres no contexto da pandemia causada pela COVID-19. [online]. Disponível em: http://www8.tjmg.jus.br/institucional/at/pdf/crm00042020.pdf Acesso em: 30 jun. 2021.

ONU Mulheres. Violência contra mulheres e meninas é uma pandemia invisível, afirma diretora executiva da ONU Mulheres. [online]. Disponível em: https://www.onumulheres.org.br/noticias/violencia-contra-as-mulheres-e-meninas-e-pandemia-invisivel-afirma-diretora-executiva-da-onu-mulheres/ Acesso em: 29 jun. 2021.

PASINATO, Wânia. Acesso à justiça e violência contra a mulher em Belo Horizonte. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2012.

PASINATO, Wânia. Oito anos de Lei Maria da Penha: entre avanços, obstáculos e desafios. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 23, n. 2, 533-545, 2015.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

SANTOS, A. P.; MOREIRA, V. C.; LACERDA, K. A. R.; PINTO, I. V.; BEVILACQUA, P. D. EXPERIÊNCIAS DO TRABALHO INTERSETORIAL NO ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NO CONTEXTO DA PANDEMIA DE COVID-19. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i1.45443. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45443. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

DEPOIMENTOS