O VIVER E O VÍRUS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v10i1.45238

Resumo

Em uma perspectiva autobiográfica e interseccional, o presente trabalho versa sobre o prisma em que dois sujeitos vivenciaram os fenômenos pandêmicos. Trata-se de transpor para as palavras os sentimentos e as sensações experenciados. Uma tentativa de elaboração conjunta do atravessamento do real da morte que a pandemia de Covid19 impôs a tod@s nós. Empenhando-se em superar a cristalização sintomática através da arte e do trabalho como vias sublimatórias. Um esforço de sinalizar, através da linguagem, o que estaria para além do desamparo, do medo e da angústia.

 

Palavras-chave: Psicologia; Covid-19; Gênero; Filosofia; Arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciene Corrêa de Miranda Moreira, Centro Universitário Academia - UniAcademia

Professora (faculdades de Psicologia, Filosofia e Pedagogia) do Centro Universitário Academia - UniAcademia

Fernanda Burack da Costa

Psicolog@ clínic@, com graduação em Psicologia pela UniAcademia – Juiz de Fora. Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Licenciatura em Filosofia pela Universidade Cândido Mendes – Rio de Janeiro.

Referências

AZEVEDO, Álvaro. Lira dos Vinte Anos. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2004. E-book Kindle.

KÜBLER-ROSS, Elisabeth. Sobre a morte e o morrer: o que os doentes têm para ensinar a médicos, enfermeiras, religiosos e a seus próprios parentes. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Como Citar

MOREIRA, L. C. de M.; COSTA, F. B. da. O VIVER E O VÍRUS. Revista Feminismos, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. DOI: 10.9771/rf.v10i1.45238. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45238. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

DEPOIMENTOS