NO PÉ QUE BROTOU MARIA, NEM MARGARIDA NASCEU: TRAJETÓRIAS DO CUIDADO Á MULHER EM SITUAÇÕES DE ABORTAMENTO

Autores

  • Yárita Crys Alexandre Hissa Medeiros Universidade de São Paulo https://orcid.org/0000-0002-5437-4265
  • Katherine Jeronimo Lima Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.9771/rf.v12i1.45010

Resumo

O tema do Aborto tem sido discutido há décadas. Transpassado por dilemas éticos e morais, o abortamento clandestino, ainda sim, possui uma grande incidência entre as mulheres. Atemorizadas pelo receio da punição, muitas destas se submetem a procedimentos inseguros para sua saúde. Além da dimensão biológica, o sofrimento destas mulheres dá-se, também, na dimensão da saúde mental. Entendendo a urgência de um pensar crítico sobre esse assunto esta pesquisa voltou-se analisar qual o percurso de cuidado das mulheres que vivenciaram o aborto provocado a partir da perspectiva dos profissionais de saúde. Para tanto, adotaremos o método da “Entrevista Reflexiva” que irá auxiliar-nos a apreender os significados dados por duas enfermeiras, duas Agentes de Saúde e duas residentes; de uma Unidade Básica de Saúde em Fortaleza. Após as entrevistas, houve a análise das falas e discussão.

Palavras-chave: Aborto, Saúde da Mulher, Direitos Reprodutivos, Atenção Básica

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yárita Crys Alexandre Hissa Medeiros, Universidade de São Paulo

Formada em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (2014)

Especialista em Saúde da Família na modalidade de residência integrada em Saúde pela Escola de Saúde Pública do Ceará (2020)

Mestrado, em andamento, em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo

Katherine Jeronimo Lima, Universidade Estadual do Ceará

Enfermeira formada pela Faculdade do Norte de Minas Gerais, em 2008.

Especialização em Epidemiologia pela Universidade Federal de Goiáis, em 2011

Especialização em Saúde Coletiva na modalidade de residência integrada em saúde pela Escola de Saúde Pública do Ceará, em 2015

Especialização Gestão de Redes de Atenção à Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz, em 2015

Mestrado em Saúde Pública pela Universidade Estadual do Ceará, em 2018

Doutorado em Saúde Pública, em andamento, pel Universidade Estadual do Ceará

Referências

ADESSE, Leila; JANNOTTI, Claudia Bonan; SILVA, Katia Silveira da and FONSECA, Vania Matos. Aborto e estigma: uma análise da produção científica sobre a temática. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2016, vol.21, n.12 [cited 2019-07-20], pp.3819-3832. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016001203819&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1678-4561. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152112.07282015

BRASIL. Ministério da Saúde.(2011) Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica. Brasília, DF. [online]. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao humanizada.pdf>. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. (2015). Agenda nacional de prioridades de pesquisa em saúde. Brasília, DF. [online] Disponível em: < http://brasil.evipnet.org/wp- content/uploads/2017/07/ANPPS .pdf >. Acesso em: 22 out. 2018.

BRASIL. Decreto-Lei Nº 2.848.(1940). Brasília, DF. Disponível em: < http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-2848-7-dezembro-1940- 412868-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 22 out. 2018

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. (12 de Dezembro de 2012). Resolução Nº 466. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf>. Acesso em: 01 de Setembro de 2019.

DINIZ, Debora; MEDEIROS, Marcelo; MADEIRO, Alberto. Feb 2017. “Pesquisa Nacional de Aborto 2016”. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 22, n. 2, p. 653-660.

FEDERICI, Silvia .2017. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva .1ª Ed. São Paulo: Elefante.464p

LEITÃO, A. L. M.; BENEVIDES, M. G. Gravidez na adolescência: será realmente um problema?. Conhecer: debate entre o público e o privado, [S. l.], v. 6, n. 16, p. 05–24, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revistaconhecer/article/view/627. Acesso em: 4 jun. 2021.

PEREIRA, Rafael Rodrigues.. A ética do aborto além da questão do direito. ethic@ - An international Journal for Moral Philosophy [online]. 7 jan. 2016. v. 17, n. 1 [cited: 2019-06-25],pp. 41 – 66. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ethic/article/view/1677-2954.2018v17n1p41>. Florianópolis, ISSN 1677-2954. . doi:https://doi.org/10.5007/1677-2954.2018v17n1p41.

SANTOS, C. S.; SILVEIRA, Lia Marcia Cruz da. June 2017. “Percepções de Mulheres que Vivenciaram o Aborto sobre Autonomia do Corpo Feminino”. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 37,n. 2, p. 304- 317,.

STREFLING, Ivanete da Silva Santiago et al. Cuidado integral e aconselhamento reprodutivo à mulher que abortou: percepções da enfermagem. Esc. Anna Nery [online]. 2013, vol.17, n.4 [cited 2019-07-20], pp.698-704. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452013000400698&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1414-8145. https://doi.org/10.5935/1414-8145.20130014

SZYMANSI, Heloísa (org); ALMEIDA, Laurinda Ramalho de; PRANDINI, Regina Célia Almeida Rego. A entrevista na pesquisa em Educação: a prática reflexiva. 4ª Ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2011.

Wiese, I. R. B. e Saldanha, A. A. W. Aborto induzido na interface da saúde e do direito. Saúde e Sociedade [online]. 2014, v. 23, n. 2 [Acessado 4 Junho 2021], pp. 536-547. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200014>. ISSN 1984-0470. https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200014.

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

MEDEIROS, Y. C. A. H.; LIMA, K. J. NO PÉ QUE BROTOU MARIA, NEM MARGARIDA NASCEU: TRAJETÓRIAS DO CUIDADO Á MULHER EM SITUAÇÕES DE ABORTAMENTO. Revista Feminismos, [S. l.], v. 12, n. 1, 2024. DOI: 10.9771/rf.v12i1.45010. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/45010. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos