A REINVENÇÃO DO CORPO HISTÉRICO COM O GRUPO DE PALHAÇARIA FEMININA CIA LUNÁTICAS

Autores

  • Marisa Araujo Cavalcante Bacharel em Psicologia pela Universidade de Fortaleza-UNIFOR e mestre em teatro pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina- CEART- UDESC. http://orcid.org/0000-0002-4548-3742

Resumo

O escrito apresenta uma reflexão inspirada na obra Invenção da histeria: Charcot e a iconografia fotográfica da Salpêtrière, de Georges Didi-Huberman (2015). A obra traz uma revisão histórica e imagética do projeto fotográfico produzido, no século XIX, pelo médico Jean-Martin Charcot quando na investigação da histeria. Aliada à reflexão, apresentamos um ensaio fotográfico realizado com o grupo de palhaçaria feminina Cia Lunáticas, de Florianópolis- SC. A elaboração das imagens busca uma bem humorada e interdisciplinar reinvenção do corpo histérico, dialogando com a noção de espetacularização, trazida por Didi-Huberman (2015), acerca do projeto científico de Charcot e de sua equipe naquele momento histórico relevante para a psicologia, para a medicina, para a fotografia, para a história da arte e, principalmente, para a vida de tantas mulheres.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marisa Araujo Cavalcante, Bacharel em Psicologia pela Universidade de Fortaleza-UNIFOR e mestre em teatro pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina- CEART- UDESC.

Bacharel em Psicologia pela Universidade de Fortaleza-UNIFOR e mestre em teatro pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina- CEART- UDESC. Atua como psicóloga clínica e pesquisadora com ênfase na interdisciplinar relação entre arte e psicologia.


Referências

BRUM, Daiani C. S. R. A atuação de mulheres como palhaças: resistência e subversão. Revista Ártemis, vol. XXVI n 1. p. 157-174. jul de 2018.

Disponível em endereço eletrônico. DOI:https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2018v26n1.42096. https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/42096/21720 Acesso: 28/05/2020

DIDI-HUBERMAN, Georges. Invenção da histeria: Charcot e a iconografia fotográfica da Salpêtrière. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Ed. Contraponto, 2015.

ESPÍRITO SANTO, Helena Maria Amaral do. Histeria: a unidade perdida. Tese (Doutoramento em Saúde Mental) – Universidade do Porto, Porto, 2008.

FREIRE, Márcia Gonzaga de Jesus. A Mulher Bufa : O gênero como desvio. Dissertação (mestrado) -- Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Artes, Programa de Pós-Graduação em Teatro. Florianópolis. 126 p. 2019.

Disponível em meio eletrônico: http://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/000076/000076c8.pdf. Acesso em 28/05/2020.

FREUD, Sigmund. Estudos sobre a histeria (1893-1895). Companhia das letras, 2016.

FREUD, Sigmund. (1893 f). Charcot. In: Résultats, idées, problèmes I – 1890-1920. Paris: PUF, 1995.

FULGENCIO, Leopoldo. A compreensão freudiana da histeria como uma reformulação especulativa das psicopatologias. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, V, 4, 30-44, ano V, n. 4, dez/2002.

Disponível em meio eletrônico: https://www.scielo.br/pdf/rlpf/v5n4/1415-4714-rlpf-5-4-0030.pdf. Acesso em 28/05/2020.

NERI, Regina. A psicanálise e o feminino: um horizonte da modernidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

Downloads

Publicado

2021-05-09

Como Citar

Cavalcante, M. A. (2021). A REINVENÇÃO DO CORPO HISTÉRICO COM O GRUPO DE PALHAÇARIA FEMININA CIA LUNÁTICAS. Revista Feminismos, 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/43430

Edição

Seção

Artigos