NA ENCRUZILHADA DOS DISCURSOS ARRIEI MEU EBÓ DE PALAVRAS: UMA LEITURA DE O QUE É LUGAR DE FALA?, DE DJAMILA RIBEIRO E O QUE É INTERSECCIONALIDADE?, DE CARLA AKOTIRENE

Autores

  • Daniel Dos Santos Universidade Federal da Bahia

Resumo

O principal objetivo deste ensaio é construir um panorama do pensamento de Djamila Ribeiro e Carla Akotirene, intelectuais do Feminismo Negro Brasileiro na atualidade, a partir da análise de O Que é Lugar de Fala?O Que é Interseccionalidade?, livros integrantes da coleção Feminismos Plurais. Pretende-se desenvolver um exercício de leitura e reflexão crítica acerca das obras com o intuito de identificar possíveis aplicabilidades dos conceitos abordados pelas autoras, bem como outros instrumentos e ferramentas eficazes para as práticas científicas, pedagógicas e, sobretudo, políticas. Este ensaio é um dos resultados das articulações entre o pensamento feminista negro e o projeto de tese de Doutorado #TheGangstaProjectII, que desenvolve a construção de um novo arcabouço teórico-metodológico para problematizar as masculinidades negras na cultura Hip Hop dos Estados Unidos, através das contribuições das epistemologias desenvolvidas por mulheres negras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Dos Santos, Universidade Federal da Bahia

Daniel Dos Santos (DanDan) é Mestre em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Licenciado em História pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), doutorando do Programa de Pós-graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo da Universidade Federal da Bahia (PPGNEIM/UFBA), Membro Fundador e Pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Africanos e Afro-brasileiros (AfroUneb) e crítico cultural.

Referências

AKOTIRENE, Carla. O Que é Interseccionalidade? Belo Horizonte: Letramento; Justificando, 2018.

ANZALDÚA, Gloria. “Falando em Línguas: Uma Carta Para as Mulheres Escritoras do Terceiro Mundo”. In: Revista Estudos Feministas. vol. 08, n. 01, 2000. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/9880>. Acesso em: 06 jan. 2021.

BIKO, Steve. Escrevo o que Eu Quero – Uma Seleção dos Principais Textos do Líder Negro Steve Biko. São Paulo: Ática, 1990 (Série Temas, volume 21 – Sociedade e Política).

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. 8ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

_____. “Corpos que Pesam: Sobre os Limites Discursivos do ‘Sexo’”. In: LOURO, Guacira Lopes. O Corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

CARNEIRO, Sueli. “Enegrecer o Feminismo: A Situação da Mulher Negra na América Latina a Partir de Uma Perspectiva de Gênero”. In: ASHOKA EMPREENDEDORES SOCIAIS; TAKANO CIDADANIA (Orgs.). Racismos Contemporâneos. Rio de Janeiro: Takano Editora, 2003 (Coleção Valores e Atitudes, série Valores; n. 1. Não discriminação).

COLLINS, Patricia Hill. “Aprendendo com a outsider within*: a significação sociológica do pensamento feminista negro”. In: Revista Sociedade e Estado. vol. 31, n. 1, 2016. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/estado/article/view/21515>. Acesso em: 06 jan. 2021.

EVARISTO, Conceição. “Nossa fala estilhaça a máscara do silêncio”. In: Carta Capital. Rio de Janeiro, 13 maio de 2017. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/sociedade/conceicao-evaristo-201cnossafala-estilhaca-a-mascara-do-silencio201d>. Acesso em 06 jan. 2021.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

_____. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2004.

GONZALEZ, Lélia. “Racismo e Sexismo na Cultura Brasileira”. In: Revista Ciências Sociais Hoje. Anpocs, 1984. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4584956/mod_resource/content/1/06%20-%20GONZALES%2C%20L%C3%A9lia%20-%20Racismo_e_Sexismo_na_Cultura_Brasileira%20%281%29.pdf>. Acesso em: 06 jan. 2021.

HOOKS, bell. “Intelectuais Negras”. In: Revista Estudos Feministas. vol. 03, n. 02, 1995. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16465>. Acesso em: 06 jan. 2021.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação – Episódios de Racismo Cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LORDE, Audre. Irmã Outsider: Ensaios e Conferências. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

RIBEIRO, Djamila. O Que é Lugar de Fala? Belo Horizonte: Letramento; Justificando, 2017.

SPIVAK, Gayatri. Pode o Subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

2021-05-09

Como Citar

Santos, D. D. (2021). NA ENCRUZILHADA DOS DISCURSOS ARRIEI MEU EBÓ DE PALAVRAS: UMA LEITURA DE O QUE É LUGAR DE FALA?, DE DJAMILA RIBEIRO E O QUE É INTERSECCIONALIDADE?, DE CARLA AKOTIRENE. Revista Feminismos, 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/42996

Edição

Seção

Ensaio