Memórias de Violência

Autores

  • Amanda Alves da Silva Universidade Federal da Bahia

Resumo

O presente artigo tem como objetivo relembrar alguns casos de assassinatos de mulheres no Brasil, demonstrando como a violência contra as mulheres faz parte de nossa memória coletiva. Para tal, são mencionados dez casos de assassinato de mulheres que foram amplamente noticiados pelos meios de comunicação e de alguma forma impressionaram a população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Alves da Silva, Universidade Federal da Bahia

Doutoranda e Mestra em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo (PPGNEIM) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Referências

BRANDINO, Géssica. Caso Maristela Just: 21 anos de espera por Justiça. Portal Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha, 11 de fev. de 2015. Disponível em: http://www.compromissoeatitude.org.br/caso-maristela-just/ Acesso em dez. 2017.

__________________. O assassinato de Sandra Gomide por Pimenta Neves. Portal Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha, 27 de maio de 2014. Disponível em: http://www.compromissoeatitude.org.br/o-assassinato-de-sandra-gomide-por-pimenta-neves/. Acesso em jan. de 2018.

BRASIL. Decreto Nº 847, de 11 de outubro de 1890. Código Penal. Rio de Janeiro, RJ, 1890. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-847-11-outubro-1890-503086-publicacaooriginal-1-pe.html, acesso em nov. 2017.

BRASIL. Lei Nº 3.071, de 1º de Janeiro de 1916. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil, 1916. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L3071.htm, acesso em nov. 2017.

BRASIL. Decreto Lei Nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal Brasileiro. Rio de Janeiro, RJ, 1940. Disponível em: https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=https://direitodescomplicado.com/download/codigo-penal-em-pdf/?wpdmdl%3D4156%26ind%3DwmyMP1KKF9i9YklwOEOslc3cwn6RM1NQEXgHTLVhS7IF9sT1VgSccde89rBIUSFe. Acesso em dez. 2017.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. (Lei Maria da Penha). Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, 2006.

______. ______. Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher. SPM Brasília, 2011a. Disponível em: http://www.spm.gov.br/sobre/publicacoes/publicacoes/2011/pacto-nacional. Acesso em: 18 de dezembro de 2015.

______. ______. Secretaria Especial de Política para as Mulheres. Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, Brasília, 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/PNPM.pdf. Acesso em: 19 de dezembro de 2015.

______. ______. Secretaria de Política para as Mulheres. Plano Nacional de Políticas para as Mulheres 2013 – 2015. Brasília: SPM, 2013. Disponível em: http://www.compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2012/08/SPM_PNPM_2013.pdf Acesso em: 19 de dezembro de 2015.

______. ______. Secretaria de Políticas para Mulheres. Rede Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Brasília: SPM, 2011b. Disponível em: http://www.spm.gov.br/sobre/publicacoes/publicacoes/2011/rede-de-enfrentamento. Acesso em: 17 de dezembro de 2015.

CONCEIÇÃO, Antonio Carlos Lima da; ARAS, Lina M. Brandão. O Crime Passional e a Tese da Legítima Defesa da Honra, III Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades, maio de 2013, p. 1-15, Disponível em: http://www.uneb.br/enlacandosexualidades/files/2013/06/O-crime-passional-e-a-tese-da-leg%C3%ADtima-defesa-da-honra.pdf

CUNHA. Tânia Rocha Andrade. O Preço do Silêncio: mulheres ricas também sofrem violência. Vitória da Conquista: Edições Uesb, 2007.

DEBERT, Guita Grin; GREGORI, Maria Filomena. Violência e Gênero: Novas propostas, velhos dilemas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 23, n. 66, p. 165-211, 2008.

ELUF, Luiza Nagib. A Paixão no banco dos Réus: casos passionais célebres: de Pontes Visgueiro a Pimenta Neves. 3ª ed., São Paulo: Saraiva, 2007. Disponível em: https://bellacacoal.files.wordpress.com/2013/03/a-paixc3a3o-no-banco-dos-rc3a9us.pdf

ESTADÃO. A história terrível de Maria do Carmo. 27 de jan. de 2003. Disponível em: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,a-historia-terrivel-de-maria-do-carmo,20030127p4733. Acesso em jan. de 2018.

FRANCISCHETT, Leandra. 50 anos do assassinato de Aída Curi – O fotojornalismo fazendo escola na revista O Cruzeiro, 2008. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/francischett-leandra-assassinato-de-aida-curi.pdf

GREGORI, Maria Filomena. “Delegacias de Defesa da Mulher de São Paulo e as instituições: paradoxos e paralelismos”. In DEBERT, Guita G.; GREGORI, Maria Filomena; e PISCITELLI, Adriana (orgs.). Gênero e Distribuição da Justiça: as delegacias de defesa da mulher na construção das diferenças. Coleção Encontros. Campinas: Pagu/Unicamp, 2006, p. 57-87.

GREGORI, Maria Filomena. Cenas e queixas: um estudo sobre mulheres, relações violentas e a prática feminista. Rio de Janeiro: Paz e Terra; São Paulo: ANPOCS, 1993.

GROSSI, Miriam Pillar. De Angela Diniz a Daniela Perez: A trajetória da Impunidade. Revista de Estudos Feministas, Ano 1, 1º semestre 1993, pp. 166-168. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16003/14503

LAGE, Lana; NADER, Maria Beatriz. Da Legitimação à Condenação Social. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (org.). Nova História das mulheres no Brasil. 1.ed., 1ªreimpressão, São Paulo: Contexto, 2013, pp. 286-312.

MELO, Régis; SOARES, Lucas. Goleiro Bruno deixa o presídio e vai dormir em casa no regime semiaberto em Varginha. G1 Varginha, Minas Gerais. Disponível em: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2019/07/19/goleiro-bruno-deixa-o-presidio-e-vai-dormir-em-casa-no-regime-semiaberto-em-varginha.ghtml. Acesso em: 02 out. 2019.

O CRUZEIRO. Ronaldo além de tarado é ladrão. 9 de abril de 1960. Disponível em: http://www.memoriaviva.com.br/ocruzeiro/09041960/090460_3.htm, acesso em dez. 2017.

____________. O Brasil condena as vítimas. 4 de junho de 1960. Disponível em: http://www.memoriaviva.com.br/ocruzeiro/04061960/040660_3.htm, acesso em dez. 2017.

_____________. O Júri oficializou a curra. 2 de abril de 1960. Disponível em: http://www.memoriaviva.com.br/ocruzeiro/02041960/020460_1.htm, acesso em dez. 2017.

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS. Convenção Interamericana para a Prevenção, Punição e Erradicação da Violência contra a Mulher (Convenção de Belém do Pará), 1994.

PANDJIARJIAN, Valéria. Balanço de 25 anos da legislação sobre a violência contra as mulheres no Brasil. In: DINIZ, Carmen Simone G.; SILVEIRA, Lenira P. da; MIRIAN, Liz Andréa L. (orgs.). Vinte e cinco anos de respostas brasileiras em violência contra a mulher (1980-2005): alcances e limites. São Paulo: Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, p. 78‑139, 2006.

PASINATO, Wânia Izumino. Justiça para todos: os Juizados Especiais Criminais e a violência de gênero. Tese (Doutorado em Sociologia), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, p. 376, 2003.

PEREZ, Glória. A Emenda Popular. Disponível em: http://www.daniellaperez.com.br/?page_id=591. Acesso em dez. 2017.

PEREZ, Glória. O Crime. 15 de dez. de 2012. Disponível em: http://www.daniellaperez.com.br/?p=2039. Acesso em dez. de 2017.

POLLAK, Michel. Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos, vol. 2, n. 3, Rio de Janeiro, 1989, p. 3-15.

QUEM MATOU ELOÁ?. Direção: Lívia Perez, Produção: Giovanni Francischelli. São Paulo: Doctela, 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4IqIaDR_GoQ

SAFFIOTI, Heleieth; ALMEIDA, Suely Souza de. Violência de gênero: poder e impotência. Rio de Janeiro: Revinter, 1995.

SANTOS, Cecília MacDowell. Curto-Circuito, Falta de Linha ou na Linha? Redes de Enfrentamento à Violência contra Mulheres em São Paulo. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v.23, n.2, maio-agosto 2015, p. 557 – 600.

SANTOS, Cecília MacDowell; IZUMINO, Wânia Pasinato. Violência contra as Mulheres e Violência de Gênero: Notas sobre Estudos Feministas no Brasil. E.I.A.L Estudios Interdisciplinares en America Latina y El Caribe, Universidad de TelAviv, 2005.

UOL. Justiça autoriza estreia do goleiro Bruno pelo Poços de Caldas em outubro... – Disponível em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2019/10/02/justica-autoriza-estreia-do-goleiro-bruno-pelo-pocos-de-caldas-em-outubro.htm?utm_source=chrome&utm_medium=webalert&utm_campaign=esporte. Acesso em: 02 out. 2019.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2015: homicídio de mulheres no Brasil. 1ª ed. Brasília – DF, 2015. Disponível em: www.mapadaviolencia.org.br/mapa2015_mulheres.php.

Downloads

Publicado

2020-10-17

Como Citar

SILVA, A. A. da. Memórias de Violência. Revista Feminismos, [S. l.], v. 7, n. 2, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/38682. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Justiça Reprodutiva