A Representação Feminina nas Ciências Exatas de uma Universidade Federal

Autores

  • Gabriela Ferreira Universidade Federal do Paraná
  • Alicia Aparecida de Souza Universidade Federal do Paraná
  • Camila Silveira Universidade Federal do Paraná http://orcid.org/0000-0002-6261-1662

Resumo

O texto trata sobre a temática da desigualdade de gênero, no contexto das Ciências Exatas, por meio de uma pesquisa qualitativa englobando o perfil profissional e os aspectos da carreira de mulheres da Química, Física, Matemática, Estatística, Informática e Expressão Gráfica de uma Universidade Pública Federal. Para tal, constituímos dados por meio dos Currículos Lattes das professoras, e de informações disponibilizadas pelo setor de Recursos Humanos da instituição. Então discutimos sobre a distribuição de gênero, o cargo ocupado pelas docentes, e suas épocas e modalidades de graduação. Com isso, observamos que na maior parte das áreas as mulheres são minoria, ocupando principalmente cargos intermediários da carreira docente, tendo um perfil bastante diverso com relação às décadas em que se formaram, e metade sendo de mulheres licenciadas. Por fim, acreditamos que o preconceito de gênero presente neste contexto e a naturalização da Ciência como masculina podem justificar o observado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Ferreira, Universidade Federal do Paraná

Atua na área do Ensino de Química, tendo participado do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) na área de Química, e tendo experiência com a Relação Ciência e Arte. Atualmente é graduanda de Licenciatura e Bacharelado em Química na Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, sendo também bolsista de iniciação científica, trabalhando com o tema Mulheres nas Ciências.

Alicia Aparecida de Souza, Universidade Federal do Paraná

Aluna do curso de licenciatura e bacharelado em química na Universidade Federal do Paraná. Por meio da iniciação científica, atua na área de ensino de química, trabalhando com a temática de mulheres nas ciências.

Camila Silveira, Universidade Federal do Paraná

Atua no campo do Ensino de Ciências, trabalhando com Divulgação Científica, Educação em Museus, Mulheres nas Ciências, Relação Ciência e Arte, Formação de Professores, Processos e Recursos Didáticos. Atualmente, é Professora Adjunta do Departamento de Química, do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática e do Programa de Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional da UFPR, em Curitiba.

Referências

BOLZANI, Vanderlan da Silva. Mulheres na Ciência: por que ainda somos tão poucas?. Ciência e Cultura. São Paulo, v. 69, n. 4, p. 56-59, 2017.

CONCEIÇÃO, Antonio Carlos Lima da; ARAS, Lina M. Brandão de. Por uma ciência e epistemologia(s) feministas: avanços, dilemas e desafios. Cadernos de Gênero e Tecnologia. Curitiba, n. 29/30, ano 11, p 10-19, 2014.

FERRAND, Michéle. A exclusão das mulheres da prática das Ciências: Uma manifestação sutil da dominação masculina. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, ano 2, p. 358-367, 1994.

JOEL, Daphna. et al. Sex beyond the genitalia: The human brain mosaic. PNAS, EUA, v. 112, n. 50, p. 1-6, 15 dez. 2015. Disponível em: <http://www.pnas.org/content/112/50/15468.full.pdf>. Acesso em: 9 abr. 19.

LAZZARINI, Ana Beatriz. et al. Mulheres na Ciência: papel da educação sem desigualdade de gênero. Revista Ciência em Extensão. São Paulo, v. 14, n. 2, p. 188-194, 2018.

LIMA, Betina Stefanello. O labirinto de cristal: as trajetórias das cientistas na Física. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 883-903, 2013.

MAGESTE, Gizelle de Souza; MELO, Marlene Catarina de Oliveira Lopes; CKAGNAZAROFF, Ivan Beck. Empoderamento de mulheres: uma proposta de análise para as organizações. In: V Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD, Anais..., Belo Horizonte, 2018.

MELO, Hildete Pereira; RODRIGUES, Ligia. Pioneiras da ciência no Brasil: uma história contada doze anos depois. Ciência e Cultura. São Paulo, vol. 70, n. 3, 2018.

MYNAIO, Maria Cecília de Souza. Desafio da Pesquisa Social. In: MYNAIO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 30 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 09-29, 2011.

SAFIOTTI, Heleieth Iara Bongiovani. Gênero, patriarcado, violência. 1 ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. O poder do macho. 1 ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

SILVA, Fabiane Ferreira; RIBEIRO, Paula Regina Costa. Trajetórias de mulheres na ciência: “ser cientista” e “ser mulher”. Ciência & Educação. Bauru, v. 20, n. 2, p. 449-466, 2014.

TABAK, Fanny. Estudos substantivos sobre mulher e ciências no Brasil. In: COSTA, A. A. A.; SARDENBERG, C. M. B. (Org.). Feminismo, ciência e tecnologia. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2002. p. 39-49.

VELHO, Léa; LEÓN, Elena. A construção social da produção científica por mulheres. Cadernos Pagu. Campinas, n.10, p. 309-344, 1998.

VIANNA, Cláudia Pereira. O sexo e o gênero da docência. Cadernos Pagu. Campinas, n. 17/18, p. 81-103, 2001/02.

Downloads

Publicado

2020-11-10

Como Citar

FERREIRA, G.; DE SOUZA, A. A.; SILVEIRA, C. A Representação Feminina nas Ciências Exatas de uma Universidade Federal. Revista Feminismos, [S. l.], v. 7, n. 3, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/32371. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos