VIOLÊNCIA DE GÊNERO NO SERIADO MARVEL´S JESSICA JONES: CONTRIBUIÇÕES DA MÍDIA E DA CULTURA POP NO COMBATE DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Autores

  • Aline Alves Veleda Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Lidiellen Eich Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Débora Fernandes Coelho UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE
  • Alexandre Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

Resumo

O trabalho objetivou analisar como um dispositivo midiático e de cultura popular, o seriado Marvel´s Jéssica Jones, aborda a violência de gênero e como pode contribuir com o debate sobre a temática. Trata-se de um estudo qualitativo, exploratório-descritivo a partir de análise de imagens e discursos. Destacaram-se alguns temas: transtorno do estresse pós-traumático, estereótipos de gênero e a relevância da sororidade feminina. A abordagem dada à violência contra a mulher no seriado oportunizou a discussão de temas relevantes, mostrando-se como um dispositivo midiático de alcance abrangente, cooperando na formação de opiniões a respeito dos papéis das mulheres na sociedade e na prevenção e enfrentamento da violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Alves Veleda, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Graduação em Enfermagem e Obstetrícia (2004) e Mestrado em Enfermagem (2006) pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Doutorado em Enfermagem (2015) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)) e Especialização em Cuidado Pré-natal (2015) pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Atua como Professora Adjunta na UFCSPA desde 2012, realizando atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de Saúde Materno-Infantil, Gênero e Direitos Humanos.

Lidiellen Eich, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Graduada em Enfermagem na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Residente Multiprofissional com ênfase em Atenção Básica no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA

Débora Fernandes Coelho, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Mestrado em Enfermagem e Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especialização em Enfermagem em Cuidado Pré-Natal pela Universidade Federal de São Paulo. Especialização em Gênero e Sexualidade pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Especialização em Enfermagem Obstétrica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Atualmente é Professora Adjunta nível IV e Pró-Reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.

Alexandre Almeida, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

Possui Doutorado em Letras (Linguística Aplicada) e Mestrado em Letras (Aquisição da Linguagem) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É especialista em Gênero e Sexualidade (Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ) e em Língua Inglesa (Centro Universitário La Salle). Atua como professor adjunto na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. É um dos líderes do Grupo de Pesquisa Ciências da Linguagem - GPCL. Coordena, ainda, o Núcleo de Estudos em Gênero, Sexualidade e Saúde - EGSS (UFCSPA).

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. DSM-5 - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BACCEGA, Maria Aparecida; ABRÃO, Maria Amélia Paiva. A violência doméstica representada na telenovela a regra do jogo. Comunicação & Educação, São Paulo, 1(1): 109-118, 2016.

BANDEIRA, Lourdes Maria. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. Revista Sociedade e Estado, 29(2): 449-469, 2014.

BLOEDOW, Aline Maria Ulrich; GUIZZO, Bianca Salazar. Representações de mulheres no quadro Mulheres Papáveis do programa Pânico na Band. Rev. Humanidades, 30(1): 115-133, 2015.

BORGES, Amanda Barbosa. A Importância da Trilha Sonora na Composição Emocional dos Filmes. Dissertação (monografia). (Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas) Comunicação Social, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2013. 50p.

BRASIL. Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes: norma técnica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

CAMPOS, Agnes Barros; OLIVEIRA, Nathália Marques de. Resenha do livro "Estudos Feministas por um Direito menos Machista", de Aline Gostinsky e Fernanda Martins. Revista Culturas Jurídicas, 4(7), 2017.

CONNELL, Raewyn; PEARSE, Rebecca. Gênero: uma perspectiva global. São Paulo: nVersos, 2015.

DANTAS, Heloisa de Souza; ANDRADE, Arthur Guerra de. Comorbidade entre transtorno de estresse pós-traumático e abuso e dependência de álcool e drogas: uma revisão da literatura. Rev. Psiq., São Paulo, 35(Supl 1): 55-60, 2008.

DUARTE, Maiara Cardoso; FONSECA, Rosa Maria Godoy Serpa da; SOUZA, Vânia de; PENA, Érica Dumont. Gênero e violência contra a mulher na literatura de enfermagem: uma revisão. Rev Bras Enferm., Brasília, 68(2): 325-332, 2015.

FELIPPE, Andreia Monteiro; JESUS, Sara Rodrigues de; SILVA, Yury Vasconcellos da; LOURENÇO, Lélio Moura; GRINCENKOV, Fabiane Rossi dos Santos. Violência praticada pelo parceiro íntimo e o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Revista Psique, Juiz de Fora,1(2):95-111, 2016.

FLACSO. Consumo de bebidas alcoólicas no Brasil. Estudo com base em fontes secundárias. Relatório de Pesquisa. Rio de Janeiro, 2012.

FOUCAULT, Michael. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do Poder. São Paulo: Ed. São Paulo, 2012.

FRANCISCO, Mônica. A dororidade e a dor que só as mulheres negras reconhecem. 2017. [online] Disponível em: https://www.geledes.org.br/dororidade-e-dor-que-so-as-mulheres-negras-reconhecem/ . Acesso em 19 mar. 2019.

FRIEDRICH, Fernanda. As Mulheres Seriadas: Uma Breve Análise Sobre as Protagonistas Femininas nas Séries Brasileiras de Comédia. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação/XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, 2015.

GARCIA, Dantielli Assumpção; SOUSA, Lucília Maria Abrahão e. A sororidade no ciberespaço: laços feministas em militância. Estudos Linguísticos, São Paulo, 44(3): 991-1008, 2015.

GOMES, Rilzeli Maria. Mulheres vítimas de violência doméstica e transtorno de estresse pós-traumático: um enfoque cognitivo comportamental. Revista de Psicologia da IMED, 4(2): 672-680, 2012.

GUIMARÃES, Maisa Campos; PEDROZA, Regina Lucia Sucupira. Violência contra a mulher: problematizando definições teóricas, filosóficas e jurídicas. Psicologia & Sociedade, 27(2): 256-266, 2015.

JOLY, Martine. Introdução à Análise da Imagem. Lisboa: Ed. 70, 2007.

HATZENBERGE, Roberta; LIMA, Ana Paula Vicari Rojas; LOBO, Beatriz; LEITE, Letícia; KRISTENSEN, Christian Haag. Transtorno de estresse pós-traumático e prejuízos cognitivos em mulheres vítimas de violência pelo parceiro íntimo. Ciências & Cognição, 15(2): 94-110, 2010.

KESSLER, Ronald C.; SONNEGA, Amanda; BROMET, Evelyn; HUGHES, Michael; NELSON, Christopher B. Posttraumatic stress disorder in the National Comorbidity Survey. Arch Gen Psychiatry, 52(12):1048-1060, 1995.

KYRILLOS, Gabriela de Moraes; ALMEIDA, Larissa Floriano. Mídia: uma ferramenta a favor ou contra a redefinição das características de gênero? Revista Habitus – IFCS/UFRJ, 8(2):88-103, 2010.

LAHNI, Cláudia Regina; AFONSO, Juliana Neves. Publicidade e relações de gênero: nos 40 anos do Ano Internacional da Mulher, reflexões a partir de anúncio da Heineken. Rev. Estud. Comun, Curitiba,17(42):71-85, 2016.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, gênero e sexualidade. Lisboa: Porto Editora, 2000.

MAGALHÃES, Joanallra Corpes. Gênero e ciência: analisando alguns artefatos culturais. Suplemento Exedra. Sexualidade, género e educação. 2014.

MARVEL. Jones, Jessica. [online]Disponível em: http://marvel.com/universe/Jones,_Jessica Acessado em: 13 ago. 2016.

MENEZES, Paulo Ricardo de Macedo; LIMA, Igor de Souza; CORREIA, Cíntia Mesquita; SOUZA, Simone Santos; ERDMANN, Alacoque Lorenzini; GOMES, Nadirlene Pereira. Enfrentamento da violência contra a mulher: articulação intersetorial e atenção integral. Saúde Soc, São Paulo, 23(3): 778-786, 2014.

SOUZA, Célia Mendes de; VIZZOTTO, Marília Martins; GOMES, Miria Benincasa. Relação entre violência familiar e transtorno de estresse pós-traumático. Psicologia, Saúde & Doenças, Lisboa, 19(2): 222-233, 2018.

MOURA, Mayara Águida Porfírio; BRAGA, Janaina Leite Barbosa; LEITE, Eliana Silva; SILVA, Juliana Gomes; LEITE, Juliana Silva. Motivação para o consumo de álcool entre adultos jovens em Teresina. Interdisciplinar, 6(1): 62-70, 2013.

MOZZAMBANI, Adriana Cristine Fonseca; RIBEIRO, Rafaela Larsen; FUSO, Simone Freitas; FIKS, José Paulo; MELLO, Marcelo Feijó de. Gravidade psicopatológica em mulheres vítimas de violência doméstica. Rev Psiquiatr, 33(1):43-47, 2011.

MUNGIOLI, Artur Palma. Personagens Femininas nos Games: Um Estudo Sobre a Representação de Gênero. 4º Encontro de GTs - Comunicon, São Paulo, 2014. [online] Disponível em: http://www3.espm.br/download/Anais_Comunicon_2014/gts/gtdois/GT02_Artur_Palma.pdf Acesso em: 20 jan. 2019.

NASCIMENTO, Thayane Cazallas do; SILVA, Douglas Rosa da. Leituras e releituras da imagem feminina: análise das desconstruções de gênero no corpo do outro. Congresso Internacional da Faculdades EST. São Leopoldo: EST. 2014. [online] Disponível em: http://anais.est.edu.br/index.php/congresso Acesso em 20 jan. 2018.

NATT, Elisângela Domingues Michelatto. CARRIERI, Alexandre de Pádua. É para Menino ou para Menina? Representações de Masculinidade e Feminilidade. Revista Latino-Americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, 7(1): 109-131, 2016.

PASINATO, Wânia. Acesso à justiça e violência doméstica e familiar contra as mulheres: as percepções dos operadores jurídicos e os limites para a aplicação da Lei Maria da Penha. Revista Direito GV, São Paulo, 11(2): 407-428, 2015.

PENKALA, Ana Paula; PEREIRA, Lucas Pessoa; EBERSOL, Isabela. Arquétipos complexos de gênero em Game of Thrones: Daenerys nascida da tormenta, a puta, a guerreira, a mãe. Paralelo 31, 2: 166-187, 2014.

PEREIRA, Claudia da Silva; PENALVA, Germana Andrade. Nem todas querem ser Madonna: representações sociais da mulher carioca, de 50 anos ou mais. Estudos Feministas, Florianópolis, 22(1):173-193, 2014.

PIEDADE, Vilma. Dororidade. São Paulo: Editora Nós. 2018.

PIEDADE, Vilma. Dororidade, o que é? O que pretende ser?.2018. [online] Disponível em: https://www.meuvotoserafeminista.com.br/blog/dororidade-o-que-e-ou-que-pretende-ser Acesso em 19 mar. 2019.

ROCHA, Simone Maria; SILVA, Vanessa R. de Lacerda e; ALBUQUERQUE, Carolina Abreu. O lugar cultural das Séries Brasileiras no fluxo televisivo: consumo e produção na definição de um sub-gênero. Líbero, 16(31): 77-88, 2013.

SALVA, Sueli. RAMOS, Ethiana Sarachin. OLIVEIRA, Keila de. As relações de gênero: entre as fronteiras de masculinidades e feminilidades. IX ANPED Sul: Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. 2012. [online] Disponível em: https://www.ucs.br/ucs/tplAnped2011/eventos/anped_sul_2012/programacao/AnpedSul_caderno_programacao.pdf Acesso em 20 jan. 2018.

SILVA, Matheus Estevão Ferreira da; BRABO, Tânia Suely Antonelli Marcelino. A introdução dos papéis de gênero na infância: brinquedo de menina e/ou de menino? Trama Interdisciplinar, 7(3): 127-140, 2016.

SOUZA, Flavia Bello Costa de; Drezett, Jefferson; MEIRELLES, Alcina de Cássia; RAMOS, Denise Gimezez. Aspectos psicológicos de mulheres que sofrem violência sexual. Reprod Clim., 27(3): 98-103, 2013.

SCHESTATSKY, Sidnei; SHANSIS, Flávio, CEITLIN, Lúcia Helena, ABREU, Paulo; Simone, HAUCK. A evolução histórica do conceito de estresse pós-traumático. Rev Bras Psiquiatr;25(Supl I):8-11, 2003.

XAVIER FILHA, Constantina. Era uma vez uma princesa e um príncipe...: representações de gênero nas narrativas de crianças. Estudos Feministas, Florianópolis, 19(2): 591-603, 2011.

ZILBERMAN, Monica L.; BLUME, Sheila B. Violência doméstica, abuso de álcool e substâncias psicoativas. Rev Bras Psiquiatr., 27(Supl 1): S51-5, 2005.

Downloads

Publicado

2020-11-10

Como Citar

VELEDA, A. A.; EICH, L.; COELHO, D. F.; ALMEIDA, A. VIOLÊNCIA DE GÊNERO NO SERIADO MARVEL´S JESSICA JONES: CONTRIBUIÇÕES DA MÍDIA E DA CULTURA POP NO COMBATE DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES. Revista Feminismos, [S. l.], v. 7, n. 3, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/30542. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos