Olhar, ouvir e atender: Centro de Referência de Atenção à Mulher Loreta Valadares

Autores

  • Cecilia Maria B. Sardenberg NEIM/UFBA
  • Jenefer Estrela Soares

Resumo

O presente artigo analisa o processo de criação do Centro de Referência de Atenção à mulher Loreta Valadares- CRAMLV. O estudo parte da compreensão da categoria de análise gênero, relevante para o entendimento das desigualdades construídas entre homens e mulheres. Neste sentido, a violência aparece enquanto mecanismo utilizado afim de restringir as mulheres no exercício de sua autonomia. O avanço dos movimentos feministas e de mulheres se mostrou relevante na luta por mecanismos de enfrentamento para as violências vivenciadas por mulheres e, em meio a tantas conquistas, o CRAMLV se constitui como uma delas. O trabalho utilizou uma metodologia qualitativa, tendo como instrumentos: as observações, a aplicação de questionário, entrevistas aprofundadas e diário de campo. A amostra presente no artigo foi composta por diferentes colaboradores, sendo 4 assistidas, 3 integrantes da equipe técnica responsável pelo atendimento das assistidas e 7 mulheres que fizeram parte dos movimentos feministas e de mulheres, em Salvador-BA, que se uniram em prol da criação do serviço. O conjunto dessas entrevistas evidenciou a importância dos movimentos feministas e de mulheres para a elaboração do projeto do Centro, para a sua criação e a implantação do serviço. Mostrou-se, também, a importância de um atendimento especializado com escuta humanizada sendo fruto de um trabalho engajado, constituído por uma formação continuada da equipe. O trabalho apresentou, de forma significativa, a necessidade de reestruturação do serviço, a fim de que as experiências dos primeiros anos de atendimento possam ser reavivadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-10-07

Como Citar

SARDENBERG, C. M. B.; SOARES, J. E. Olhar, ouvir e atender: Centro de Referência de Atenção à Mulher Loreta Valadares. Revista Feminismos, [S. l.], v. 4, n. 1, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/30209. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Justiça Reprodutiva