Serviço Social com Perspectiva de Gênero: o que a “cegueira ideológica” não permite ver

Autores

  • Teresa Kleba Lisboa
  • Catarina Nascimento de Oliveira

Resumo

O artigo aponta as mudanças sócio históricas afrontadas pelo Serviço Social na contemporaneidade, reconhece que a profissão insere-se nas lutas pelo enfrentamento a todas as formas de exploração, discriminação e preconceito, e assinala a necessidade de abertura para um debate sobre a interseccionalidade entre as categorias gênero, classe, raça/etnia, corpo, sexualidade, geração, deficiência, entre outras. Apresenta algumas concepções sobre os termos Modernidade e Pós-Modernidade, defende que os estudos feministas lançaram um novo olhar sobre a Modernidade, na medida em que trazem para o debate questões específicas das mulheres e provocam um deslocamento de paradigmas. Como sugestão, propõe um Serviço Social centrado na perspectiva feminista, que valoriza a experiência decorrente da prática, uma vez que a profissão de caráter interventivo é constituída em sua maioria de mulheres que atendem no seu cotidiano, majoritariamente mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARSTED, Leila de Andrade. A revisão da modernidade a partir dos desafios de gênero e raça. In: Tempo e Presença, Rio de Janeiro, CEDI, mar/abr. 1994.
BAUMAN, Zygmunt. Bauman. O Mal Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. Souza, R. L. 1988.
BENHABIB, Seyla & CORNELL, Drucilla (coord.s) Feminismo como crítica da modernidade. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos, 1987.
BEUVOIR Simone. O segundo Sexo – Fatos e Mitos, São Paulo, Difusão Europeia do Livro, 1970.
BOFF, Leonardo. “La posmodernidad y la miséria de la razón liberadora”. Pasos 54. San José da Costa Rica, D.E.I., jul/ago 1994.
BOURDIEU, Pierre. “A dominação masculina”. Educação & Realidade, POA, UFRGS, jul/dez. 1995.
CAMPS, Victoria. El siglo de las mujeres. Madrid, Cátedra, 1998. Coleción Feminismos.
CASTRO, Mary G. Alquimia de categorias sociais na produção dos sujeitos políticos. In: Estudos Feministas, Rio de Janeiro, CIEC/ECO/UFRJ, N.0, 1992.
COSTA, Cláudia de Lima. O sujeito no feminismo: revisitando os debates. In: Cadernos Pagu, Campinas, (19), 2002. pp 59-90.
______. O feminismo e o pós-modernismo/pós-estruturalismo: (in)determinações da identidade nas (entre)linhas do (com)texto. In: PEDRO, J. & GROSSI, M.P. Masculino, feminino, plural. Florianópolis, Mulheres, 1998.
_______ O Testemunho e a construção da experiência: explorando as fronteiras das teorias feministas. Florianópolis, UFSC, 1996.
DOMINELLI, Lena e MAC LEOD, Eileen. Trabajo Social Feminista. Coleción Feminismos, Ediciones Cátedra, Universidad Autonoma de Madrid, Espanha, 1989.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 2.ed. Rio de Janeiro, Graal, 1981.
FRIEDAN, Betty. Mística Feminina. Petrópolis, Editora Vozes, 1974.
HABERMAS, Jurgen. Modernidade, um projeto incompleto. In Arte em Revista, no. 07 São Paulo, 1983.
HARDING, Sandra. A instabilidade das categorias analíticas na teoria feminista. In: Estudos Feministas. Rio de Janeiro, CIEC/ECO/UFRJ, v.1, n.1, 1993.
HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo, Loyola, 1993.
HOLLANDA, Heloisa B (org.). Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro, Rocco, 1992.
________ (org.). Tendências e impasses - o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro, Rocco, 1994.
LAGARDE, Marcela. Género y feminismo - desarrollo humano y democracia. Madrid, Horas & horas, 1996.
MATOS, Marlise. Movimento e teoria feminista: é possível reconstruir a teoria feminista a partir do sul global? Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 18, n. 36, p. 67-92, jun. 2010
MIRES, Fernando. La Revolución que nadie soñó o la outra posmodernidad..., Caracas, Nueva Sociedad, 1996.
OLIVEIRA, Rosiska Darcy. Memórias do Planeta Fêmea. In Revista Estudos Feministas, Rio de Janeiro, CIEC/UFRJ, Vol.0, 1992
PINTO, Celi Regina. “Movimentos Sociais: Espaços privilegiados da mulher enquanto sujeito político”. In: COSTA, Albertina O. & BRUSCHINNI, Albertina. Uma Questão de Gênero. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos & Fundação Carlos Chagas, 1992.
QUIJANO, Aníbal. ”Modernidad, identidad y utopia en América Latina. Cadernos de Sociologia da UFRGS. n. 5, Porto Alegre, UFRGS, 1993.
SANTOS, Boaventura Souza. Conferencia de Abertura do VIII Congresso Luso-Afro-Brasileiro realizado em Coimbra de 16 a 18 de setembro de 2004.
TOURAINE, Alain. Crítica da modernidade. Petrópolis, Vozes, 1994.

Downloads

Publicado

2016-09-21

Como Citar

LISBOA, T. K.; OLIVEIRA, C. N. de. Serviço Social com Perspectiva de Gênero: o que a “cegueira ideológica” não permite ver. Revista Feminismos, [S. l.], v. 3, n. 2/3, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/30151. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Justiça Reprodutiva