Gênero, sexo e corpos trans: um relato de experiência de extensão universitária a partir da construção de um grupo de apoio e militância com travestis e transexuais.

Autores

  • Juliana Perucchi Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Brune Coelho Brandão Mestranda no Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).
  • Junior Augusto da Silva Bolsista de extensão e acadêmico do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Resumo

Este artigo apresenta uma interface conta de extensão universitária em pesquisa com travestis e transexuais. O artigo destaca a extensão universitária como uma estratégia relevante para as relações entre universidades, da sociedade e do Estado. Salienta a importância deste tipo de trabalho com pessoas vulneráveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Perucchi, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Professora do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Referências

ARÁN, M. & MURTA, D. Do diagnóstico de transtorno de identidade de gênero às redescrições da experiência da transexualidade: uma reflexão sobre gênero, tecnologia e saúde. Rio de Janeiro:Physis: Revista de Saúde Coletiva, 19 (1), 15-41, 2009.

ARÁN. M., ZAIDHAFT, S. & MURTA, D. Transexualidade: corpo, subjetividade e saúde coletiva. Psicologia & Sociedade; 20 (1), 70-79, 2008.

BATISTA, N. C. S; BERNARDES, J. & MENEGON, V. S. M. Conversas no cotidiano: um dedo de prosa na pesquisa. In: SPINK; BRIGADÃO; NASCIMENTO; CORDEIRO (org). A produção de informação na pesquisa social: compartilhando ferramentas. Rio de Janeiro: Centro Edelstein, 2014.

BENEDETTI, M. Toda Feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond Universitária, 2005.

BORGES, C. A. & SOUZA, M. Saúde das travestis: um desafio para a enfermagem. In: XVI Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão: Aprender e empreender na educação e na ciência do Centro Universitário Franciscano – UNIFRA, out. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Federal número 1.457, 2008. Recuperado em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt1457_06_07_2012.html

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Federal número 1.707, 2008. Recuperado em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1707_18_08_2008.html

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Federal número 1.820, 2009. Recuperado em http://www.brasilsus.com.br/legislacoes/gm/109086-1820.html?q

BUTLER, J. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In:LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autentica 2000. p.151-169.

BUTLER, J. Gender Trouble: Feminism and the Subversion of Identity. New York: Routledge, 1990.

BUTLER, J. El género em disputa. El feminismo y la subvesión de la identidade, Buenos Aires, Paidós, 2001.

FIRESTONE, S. La dialéctica del sexo, Barcelona, Kairós, 1976.

FONSECA, C. Quando cada caso não é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, 10, 58-78, 1999.

FOUCAULT, M. A ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 1996

FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. 8ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

GREER, G. The Female Eunuch. London: Paladin, 1971 [1970].

HARAWAY, D. J. Ciencia, cyborgs y mujeres. La reinvención de la Naturaleza, Madrid, Cátedra, 1995.

LIONÇO, T. Atenção integral à saúde e diversidade sexual no Processo Transexualizador do SUS: avanços, impasses, desafios. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 19 [1]: 43-63, 2009. Recuperado em 20 de março de 2014, da SciElo (Scientific Electronic Library Online): www.scielo.br.

MACHADO, P. O sexo dos anjos: representações e práticas em torno do gerenciamento sociomédico e cotidiano da intersexualidade. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil, 2008.

MELO NETO, J. F. Extensão universitária e produção do conhecimento. Conceitos, João Pessoa, 5(9), 13-19, 2003.

PELÚCIO, L. "Mulheres com Algo Mais" - corpos, gêneros e prazeres no mercado sexual travesti. Revista Versões, 3, 77-93, 2007.

PERUCCHI, J; BRANDÃO, B. C.; BERTO, C. M. G.; RODRIGUES, F. D.; SILVA, J. A. Brazil-s Unified Health System (SUS) and Its Treatment for Transgender People. Psychology (Irvine), v. 05, p. 1090-1094, 2014.

RUBIN, G. Pensando sobre sexo: notas para uma teoria radical da política da sexualidade (Tradução em português de circulação restrita). In: Abelove, H; Barale, M; Halperin, D., org. The lesbian and gay studies reader.Londres: Routledge, 1993.

TRAD, L. A. B. Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseadas em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Revista de Saúde Coletiva, 19(3), p. 777-796, 2009.

WITTIG, M. The Straight Min, Feminist Issues, núm. 1, 1980.

Downloads

Publicado

2015-05-07

Como Citar

PERUCCHI, J.; BRANDÃO, B. C.; DA SILVA, J. A. Gênero, sexo e corpos trans: um relato de experiência de extensão universitária a partir da construção de um grupo de apoio e militância com travestis e transexuais. Revista Feminismos, [S. l.], v. 3, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/30044. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Justiça Reprodutiva