Registros e informações para controle do câncer anal:

refletindo sobre indicadores e a atenção à saúde

Autores

Palavras-chave:

Câncer anal, Cuidado em Saúde, Informação e saúde

Resumo

O câncer anal registra aumento nas últimas décadas e há escassez de dados para monitorar sua evolução. Objetivou-se refletir sobre a interface qualidade dos registros e a existência de políticas específicas no SUS. Trata-se de uma revisão seletiva de fontes bibliográficas com seleção de referências associadas à relação de informações e câncer anal. A precariedade de registros dessa neoplasia compromete a formulação de estudos epidemiológicos para se conhecer o perfil da doença e da população assistida no Brasil. Para isso, a base de registros deve ser contínua e sistematicamente ampliada para estudos e serviços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

William Pereira Santos, Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF)

Alcindo Antônio Ferla, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Medicina pela UFRGS. Professor da Escola de Enfermagem na UFRGS. 

Referências

BARCELLOS, Lêda Pereira de; RUSSOMANO, Fábio; COUTINHO, José Ricardo Hildebrandt. Value of conventional cytology in the presence of macroscopic lesions of the anal canal. Journal of Coloproctology,v. 34, n. 1, p. 29-34, 2014. Disponível em: https://jcol.elsevier.es/pt-value-conventional-cytology-in-presence-articulo-resumen-S2237936314000070. Acesso em: 13 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Tipo de câncer:câncer anal. 2018, Rio de Janeiro, 14 ago. 2018. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-anal. Acesso em: 19 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS. Política Nacional de Informação e Informática em Saúde.-Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

CARMO, Michelly Eustáquia do; GUIZARDI, Francini Lube. O conceito de vulnerabilidade e seus sentidos para as políticas públicas de saúde e assistência social. Cadernos de Saúde Pública, v.34, n. 3, p. 1-14, 2018. Disponível em: scielo.br/pdf/csp/v34n3/1678-4464-csp-34-03-e00101417.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

COUTINHO, José Ricardo Hildebrandt. Rastreamento de lesões pré-neoplásicas do ânus. Citologia anal e anuscopia de alta resolução novas armas para prevenção. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 33, n. 5, p. 311-7, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-69912006000500010&script=sci_arttext. Acesso em: 23 jun. 2020.

FONSECA, Alex Jardim da et al.Epidemiologia e impacto econômico do câncer de colo de útero no Estado de Roraima: a perspectiva do SUS. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia,v. 32, n.8, p. 986-92, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032010000800005&script=sci_abstract&tlng=pt >. Acesso em: 31 jul. 2020.

GIACCIO, Claudia Maria Ricardo Serafim. Prevalência de alterações citológicas anais em pacientes com citologia cervical anormal.2015. 106 f. Tese (Doutorado em Ciências) -Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Coordenadoria de Controle de Doenças, São Paulo, 2015. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/bvsvs/resource/pt/ses-32324. Acesso em: 23 mai. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero. -2. ed. rev. atual. -Rio de Janeiro: INCA, 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2018:incidência de câncer no Brasil. -Rio de Janeiro: INCA, 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil. -Rio de Janeiro: INCA, 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS). Departamento de Ciência e Tecnologia, Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde. Informes Técnicos Institucionais - Integração de informações dos registros de câncer brasileiros. Revista de Saúde Pública,v. 41, n. 5, p. 865-68, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v41n5/cancer.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

PAHO. Pan American Health Organization. Health Indicators: conceptual and operacional considerations. Washington: PAHO, 2015. Disponível em: file:///C:/Users/Antonio/OneDrive/Health_Indicators-June18-en.pdf. Acesso em: 10 ago. 2020.

SANTOS, William Pereira; FERLA, Alcindo Antônio. Câncer anal: a abordagem da vulnerabilidade para compreender a doença e o cuidado. In: I CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ON-LINE, 2020. Anais Eletrônico...Instituto Multiprofissional de Ensino, 2020. Disponível em: https://conbracib.com.br. Acesso em: 5 ago. 2020.

SANTOS, William Pereira; MEYRELLES, Norma Império. Cytopathology as an efficient technique to track anal cancer precursor lesions. DST -Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis,v. 26, n. 1-4, p. 36, 2014. Disponível m: http://www.dst.uff.br/revista26-T-2014/DST_v26n1-4_32-41_IN.pdf. Acesso em: 2 ago. 2020.

SOARES, Marcia Fernandes et al. Processo de qualificação de trabalhadores técnicos de informações e registros em saúde. In: MOROSINI, Márcia Valéria Guimarães Cardoso et al. Trabalhadores técnicos da saúde: aspectos da qualificação profissional no SUS. Rio de Janeiro: EPSJV, 2013. p.235-265.

TORRES NETO, Juvenal da Rocha; PRUDENTE, Ana Carolina Lisbôa; SANTOS, Ronmel Lisboa dos. Estudo Demográfico do Câncer de Canal Anal e Ânus no Estado de Sergipe. Revista brasileira Coloproctologia,v. 27, n. 2, p. 190-5, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbc/v27n2/10.pdf. Acesso em: 1º ago. 2020.

VASCONCELLOS, Miguel Murat; GRIBEL, Else Bartholdy; MORAES, Ilara Hammerli Sozzi de. Registros em saúde: avaliação da qualidade do prontuário do paciente na atenção básica, Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública,v. 24, sup 1, p. 173-82, 2008.

WEIS, Stephen E. Current treatment options for management of anal intraepithelial neoplasia. Onco Targets Ther,v. 6, p. 651-65, 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3684220/. Acesso em: 2 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

SANTOS, W. P.; FERLA, A. A. Registros e informações para controle do câncer anal:: refletindo sobre indicadores e a atenção à saúde. Revista Fontes Documentais, [S. l.], v. 3, n. Ed. Especial, p. 312–319, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/RFD/article/view/57797. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES: Comunicação, informação em rede e humanização: novas perspectivas