https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/issue/feed Repertório 2022-05-04T10:44:21+00:00 George Mascarenhas/Ivani Santana revistarepertorioufba@gmail.com Open Journal Systems <p>Periódico do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia. Criado em 1997, tem como foco a difusão da práxis transdisciplinar em artes cênicas com ênfase em pesquisas articuladas com o desenvolvimento de epistemo-metodologias, processos pedagógicos e de criação, história e dramaturgia, tendências contemporâneas, perspectivas decoloniais, corporeidade, feminismos, gênero, estudos étnico-raciais, performance e tecnodiversidade, saberes e fazeres nas artes cênicas.<br />Area do conhecimento: Artes<br />ISSN(online): 2175-8131 - Periodicidade: Semestral </p> https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/43658 Uma conversa sobre a experiência e o tempo do espectador no teatro contemporâneo 2021-08-27T18:36:34+00:00 Christiane de Fátima Martins christianemartins@usp.br Felisberto Sabino da Costa felisberto@usp.br Ipojucan Pereira da Silva ipojucan22@hotmail.com Rudson Marcelo Duarte rudson@usp.br Ivana Moura Alves ivanamouraalves2018@gmail.com Danilo Corrêa Pinto dam_correa@yahoo.com.br <p><strong>Resumo: </strong>Inspirado no texto “Por uma pedagogia da pergunta”, de Paulo Freire e Antonio Faundez, o grupo de pesquisa O Círculo instaura uma conversa sobre o tempo no teatro de (e do) agora, elegendo a memória e a experiência como disparadores, já que nossa leitura-base para este artigo-diálogo são os livros “O Aroma do Tempo” (2016), de Byung-Chul Han, e “Memória e Vida” (2006), de Henri Bergson. Para tanto, abordamos temporalidades atravessadas por nossas experiências em montagens vistas em ato ou <em>on-line</em>.<strong></strong></p><p><strong>Palavras-chaves</strong>: Artes Cênicas. Contemporaneidade. Experiência. Memória. Tempo.</p><p> </p><p><strong>Abstract:</strong> Inspired by the text “Por uma pedagogia da pergunta”, by Paulo Freire and Antonio Faundez, The Circle research group establishes a conversation about time in contemporary theater, choosing memory and experience as triggers, since our basic reading for this article-dialogue are “O Aroma do Tempo” (2016), by Byung-Chul Han, and “Memória e Vida” (2006), by Henri Bergson. For that, we approach temporalities crossed by our experiences lived in person or online.</p><p><strong>Key-words:</strong> Performing Arts. Contemporaneity. Experience. Memory. Time.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/43510 O corpo cênico divinizado: (des)limites entre arte, filosofia e religiosidade no movimento teorizante da dança imanente 2021-05-28T10:47:20+00:00 Ana Flávia de Mello Mendes anaflavia@ufpa.br <p dir="ltr"><span>O presente texto aborda a teorização da “dança imanente” (MENDES, 2010) a partir do processo de criação do espetáculo [nome do espetáculo removido para avaliação]. Partindo da metáfora da ciganice como modo de existência, a reflexão caminha de forma errante entre arte, filosofia e religiosidade para revisitar a dança imanente e apresentar a noção de corpo cênico divinizado. O diálogo inicialmente estabelecido com teóricos da imanência, entre os quais Deleuze e Guattari (1992) e Espinosa, é atravessado pela experiência de criação poética articulada à Etnocenologia (BIÃO, 2009) e seus conceitos de estado de corpo e consciência para falar de uma possível transimanência em dança, trazendo para a fisicalidade a dimensão do sagrado na construção de corpo para a cena.</span></p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/38727 No entre, à escuta 2021-08-19T14:36:30+00:00 Angelene Lazzareti angilazzareti@gmail.com <p><strong>RESUMO:</strong> O presente artigo reflete sobre a escuta e o <em>entre</em><em> </em>como inspirações para uma formação artística sensível e porosa. A escuta é compreendida como ação de corpo inteiro, que possibilita testemunhar e legitimar a existência do outro. O <em>entre</em><em> </em>é visualizado como força relacional de produção de singularidades e de fragilidades e, embora não possa ser estabilizado para ser definido ou dito, pode ser escutado. As referências deste texto são os estudos de Ivan Flores Arancibia, Jean-Luc Nancy, Mirna Spritzer, Roland Barthes e Cassiano Sydow Quilici. </p><p><strong>Palavras-chave:</strong> <em>Entre</em>; Escuta; Formação artística; Corpo; Afetividade;</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/38194 Dramaturgias do Corpo: Protocolos de Criação das Artes da Cena e do Movimento. 2021-01-31T18:37:19+00:00 Lígia Losada Tourinho ligia.tourinho@gmail.com <p><strong>RESUMO</strong></p><p>Este artigo apresenta uma reflexão sobre o conceito dramaturgia na contemporaneidade, entendendo que seus significados atuais não são sinônimos de texto dramático, mas suas acepções contemporâneas dizem respeito às estruturas artísticas que determinam a composição cênica, respeitando a liberdade de articulação polifônica das linguagens do fazer cênico e expandindo suas relações diretas com o drama e com a trama. Para tal foi estabelecida uma revisão do conceito de drama e das acepções de dramaturgia ao longo da história das Artes da Cena e do Movimento no ocidente, constatando a pluralidade de acepções do termo e compreendendo as dramaturgias contemporâneas como dramaturgias do corpo e suas estrurutações dramatúrgicas, como <em>protocolos de criação.</em></p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/42517 Ipseidade e dramaturgia contemporânea: o si e o outro em Nós, do Galpão, e Mata teu pai, de Grace Passô 2021-08-24T20:29:20+00:00 Elen de Medeiros elendemedeiros@hotmail.com <span>A partir das análises das peças <em>Nós</em>, de Marcio Abreu e Eduardo Moreira para o espetáculo do Grupo Galpão, e <em>Mata teu pai</em>, de Grace Passô, pretende-se neste artigo articular as reflexões acerca da ipseidade, segundo o pensamento hermenêutico de Paul Ricoeur (2004), com as proposições acerca do drama moderno e contemporâneo, segundo Jean-Pierre Sarrazac (2017). Nesse sentido, tem-se como foco o entendimento dialético entre forma e conteúdo nas duas peças e almeja-se reconhecer como trazem consigo um debate acerca das insurgências do contemporâneo, em especial na relação entre a apresentação do <em>si </em>em cena no embate e na constituição com o <em>outro</em>. </span> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/38173 De corpos e palavras: a dramaturgia de Raimund Hoghe 2020-09-18T16:22:47+00:00 Leonardo Munk leonardo.munk@unirio.br <p>Considerando as transformações que o conceito de dramaturgia sofreu nas últimas décadas no campo dos estudos da cena, este artigo tem como objetivo investigar esse fenômeno no contexto da produção artística do dramaturgo e performer alemão Raimund Hoghe. Dedicando-se inicialmente à dramaturgia das peças do <em>Tanztheater Wuppertal</em> de Pina Bausch por quase uma década, Hoghe começou a compor a partir da década de 1990 suas próprias peças, onde também atuaria como intérprete. Destacando-se como um dos diretores mais instigantes da cena contemporânea, seu caminho é paradigmático na tendência da indistinção da atividade entre aqueles responsáveis pelo movimento e aqueles responsáveis pelo texto.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/38044 Faíscas, lampejos e fragmentos luminosos entre teatro e performance no Teatro da Vertigem 2021-07-09T17:53:02+00:00 Eduardo Reis Silva duedua@gmail.com Deolinda Catarina França de Vilhena deolindavilhenaufba@gmail.com <p>o artigo propõe uma reflexão sobre abordagens cênicas que tangenciam zonas periféricas entre teatro e performance, do grupo paulistano Teatro da Vertigem, tendo como diretores criativos o Antônio Araújo e Eliana Monteiro. Os trabalhos teatrais deste grupo sempre flertaram e se relacionaram com a performatividade, de modo que esta relação tem se intensificado, ao ponto de em 2008 realizarem a intervenção cênica <em>A</em> <em>última</em> <em>palavra</em> é <em>a</em> <em>penúltima</em>, e em 2014 uma revisão da mesma, numa versão <em>2</em>.<em>0</em>. Nesta análise, detenho-me nesta última versão, onde o grupo trilha por uma passagem completamente emancipada de: texto, personagens delimitados, ação dramática, tempo e espaço demarcados. Apoiado pelos estudos de Érika Fischer-Lichte acerca da realidade e da ficção no teatro contemporâneo e também das análises de Jean-Pierre Sarrazac, Josette Ferál e Gilles Deleuze. Deste modo, este artigo, concentra-se nas reflexões que tencionam aproximações e experimentações performativas do Teatro da Vertigem em seus espetáculos.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/38086 O gesto flamenco na criação artística do espetáculo Las Cuatro Esquinas 2021-04-22T20:21:53+00:00 Daniele Luciana Zill Heuert danielezill78@gmail.com Suzane Weber da Silva ssuzaneweber@gmail.com <p class="normal">Este artigo tem por objetivo sublinhar reflexões acerca do gesto flamenco, surgidas a partir da pesquisa de mestrado, realizada no Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFRGS, entre 2015 e 2017. Tais reflexões estão ancoradas na escrita e nos registros realizados sobre o gesto flamenco, investigação de caráter inédito, que buscou adentrar um território ainda pouco explorado em relação a essa linguagem artística, além de operacionalizar sua inserção e discussão no campo da pesquisa em artes cênicas.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/43436 A arte visionária de Josef Svoboda 2021-04-22T19:28:45+00:00 Gabriela Lirio Gurgel Monteiro gabilirio@yahoo.fr <p>O artigo analisa a trajetória artística de Josef Svoboda (1920-2002) e sua contribuição para o pensamento sobre as artes da cena e a tecnologia. Tendo como pressuposto o que nomeou como “filosofia da obra”, o artista tcheco não apenas desenvolve dispositivos cinéticos, como investiga a relação entre espaço e público ao realizar espetáculos com o uso de diversas técnicas de projeção de imagens. A relevância de sua obra pode ser notada no teatro contemporâneo por meio do diálogo com as vanguardas históricas, nas quais Svoboda é um dos artistas mais geniais. Enfatizo a necessidade de uma revisão histórica para a análise da complexidade e diversidade da produção artística contemporânea, alicerçada em uma busca que visa a conjurar o experimental e o político, a tecnologia e a dramaturgia das imagens, a intermidialidade e artesania do trabalho atoral.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/37673 A dramaturgia nos meios audiovisuais e seu sistema de significação 2021-03-25T17:09:55+00:00 Ana Cláudia Silva Cavalcante anacscavalcante@gmail.com <p>O artigo Identifica os principais elementos que compõem a gramática da ficção audiovisual, destacando que as escritas dramatúrgicas feitas para cinema e televisão se desenvolvem em três dimensões: a dimensão visual ou imagética, a dimensão sonora, além da construção verbal que lastreia a encenação, o que possibilita a descrição de circunstâncias, estados emocionais, definição de ambientes, construção de personagens e a composição de diálogos. Essas três dimensões constituem um sistema complexo de significação. O estudo colabora com a compreensão das especificidades da linguagem audiovisual, evidenciando <em>diálogos</em>, no sentido proposto por Mikhail Bakhtin, travados entre os primórdios do cinema e outras modalidades artísticas, tais como o teatro, a dança e as artes pictóricas.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/43278 Ballet online e capital social em tempos de pandemia 2021-07-08T17:56:39+00:00 Rebeca Recuero Rebs rebeca.recuero.rebs@gmail.com <p>Busca-se compreender os capitais sociais potencializados na articulação entre a dinâmica social da internet e o ensino da dança clássica diante da situação mundial de distanciamento social causada pelo novo coronavírus. Discute-se valores sociais atrelados aos conceitos de capital social na dinâmica do ballet e na sua transformação/adaptação no ciberespaço. Parte-se de uma Netnografia em uma escola de dança clássica que, devido à pandemia, teve que se adaptar ao contexto online para manter suas atividades. Percebeu-se que o ensino do ballet mediado pela internet aponta para a ressignificação dos tipos de capital social priorizados por esta arte na internet, incidindo em novos formatos para suas manifestações culturais, artísticas e sociais na contemporaneidade.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/37699 Repertórios circenses e ferrovias: um estudo sobre o oeste de Minas Gerais, c. 1890-1920 2021-05-10T16:13:02+00:00 Rosana Daniele Xavier rosanadx@gmail.com Daniel Venâncio de Oliveira Amaral dvoamaral@gmail.com Cleber Dias cleberdiasufmg@gmail.com <p>O artigo investiga os repertórios de espetáculos de circo oferecidos na região Oeste de Minas Gerais na transição entre os séculos 19 e 20. As principais fontes para essa pesquisa foram os jornais Gazeta de Oliveira, publicado a partir de 1887 na cidade de Oliveira (que mudou o nome para Gazeta de Minas a partir de 1899), cujos acervos, atualmente disponíveis on-line. Nesse período, a inauguração de ferrovias facilitou o transporte de artistas, animais e objetos ligados aos espetáculos, impactando, como consequência, o volume e a própria natureza dos repertórios dos espetáculos oferecidos pelos circos. <strong></strong></p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Repertório https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/47170 A dama do teatro e seu intenso caminhar pelo tempo 2021-11-27T14:25:59+00:00 Marcos Uzel marcosuzel@gmail.com <p>O artigo enfoca a trajetória da atriz Nilda Spencer, uma das mulheres mais importantes na memória das artes cênicas na Bahia. O texto, com inclusões de trechos da biografia "Nilda: a dama e o tempo", escrita por Marcos Uzel, traz um perfil da dama do teatro baiano, evidenciando como ela se destacou de forma efetiva na dinâmica da cultura de uma cidade. Revela os devaneios de infância; os sonhos de juventude, aspirando ao cinema; a fusão de comportamentos da mulher que transgrediu sem deixar de ter atitudes conservadoras; o trânsito pelas rodas da elite; as noites da boêmia em ambientes libertários e marginalizados e, sobretudo, a carreira de fôlego da artista que foi pioneira n província dos anos 1950 e atuou até o fim da vida.</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Marcos Uzel https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/47847 Labirinte-se! 2022-02-01T14:16:49+00:00 George Mascarenhas mascarenhas.george@gmail.com Ivani Santana ivanisantana.mapad2@gmail.com <p>Editorial - 37</p> 2022-05-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 George Mascarenhas; Ivani Santana