1.
Forti L. Se a língua é viva, por que mortificá-la?. Germinal [Internet]. 30º de abril de 2022 [citado 18º de agosto de 2022];14(1):593-609. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/46759