<B>Inventários como Fontes para a História da Arte e do Mobiliário Brasileiro</B>

Autores

  • Angela Brandão Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.9771/2175-084Xrcv.v0i13.3783

Palavras-chave:

arte brasileira, mobiliário brasileiro, inventários

Resumo

Os inventários, como fontes para a história da arte e do mobiliário, foram empregados em estudos histórico-artísticos desde o século XIX. Descrições objetivas deixaram transparecer, aos leitores atentos, a compreensão dos objetos artísticos em seu sentido simbólico. Este texto interpreta os inventários da Sé de Mariana (1749 – 1870), averiguando os significados atribuídos às peças inventariadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela Brandão, Universidade Federal de Juiz de Fora

Formada em História pela Universidade Federal do Paraná, Especialista em Arte e Cultura Barroca pela UFOP, Mestre em História da Arte e da Cultura pela UNICAMP e Doutora em História da Arte pela Universidade de Granada, Espanha. Professora de História da Arte no Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora. Pós-Doutorado na FAU-USP sob supervisão do Prof.Dr. Luciano Migliaccio. Professora Colaboradora do Mestrado em História do ICH-UFJF

Downloads

Publicado

2010-05-06

Como Citar

BRANDÃO, A. &lt;B&gt;Inventários como Fontes para a História da Arte e do Mobiliário Brasileiro&lt;/B&gt;. Cultura Visual, [S. l.], n. 13, p. 11–23, 2010. DOI: 10.9771/2175-084Xrcv.v0i13.3783. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/rcvisual/article/view/3783. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Selecionados / Selected Articles