Colorindo cinzas: a participação baiana na I Bienal Latino-americana de São Paulo - Mitos e Magia

Autores

  • Yumara Souza Pessôa Escola de Belas Artes

DOI:

https://doi.org/10.9771/2175-084Xrcv.v0i10.3667

Palavras-chave:

Memória, Arte, Identidade, Década de 70 - Século XX, Salvador –Bahia

Resumo

O texto trata da participação de artistas baianos na I Bienal Latino-americana, realizada em São Paulo no final de 1978. As informações obtidas em livros e periódicos subsidiam o desenvolvimento do trabalho que aborda questões relativas às artes visuais contemporâneas e mais especificamente aquelas relacionadas à identidade local e nacional na sua relação com o mercado de arte internacional. A partir da descrição dos trabalhos das artistas Sonia Rangel e Lia Robatto e do grupo ETSEDRON, o artigo objetiva contribuir para o resgate de importante momento da nossa história recente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yumara Souza Pessôa, Escola de Belas Artes

ssui graduação em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia (1986) , especialização em Conservação e Restauração de Monumentos e Conjunto pela Universidade Federal da Bahia (1988) e mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia (2007) . Atualmente é Professor Assistente III da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo , com ênfase em Projeto de Arquitetura e Urbanismo. Atuando principalmente nos seguintes temas: Decoração, História da Decoração, Década de 70, Salvador/Bahia, Memória.

Como Citar

SOUZA PESSÔA, Y. Colorindo cinzas: a participação baiana na I Bienal Latino-americana de São Paulo - Mitos e Magia. Cultura Visual, [S. l.], n. 10, p. 85–97, 2009. DOI: 10.9771/2175-084Xrcv.v0i10.3667. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/rcvisual/article/view/3667. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Selecionados / Selected Articles