O ser humano como participante e conhecedor do universo reflexões sobre a dimensão lúdica na obra de Jesús Soto

Autores

  • Mariela Brazón Hernández

DOI:

https://doi.org/10.9771/2175-084Xrcv.v0i10.3385

Resumo

Todo jogo tem um sentido que transcende o desfrute imediato. Da mesma forma, toda obra de arte, inclusive a mais hermética, tem o poder de encantar-nos e transladar-nos a mundos paralelos. Neste texto estudamos as relações entre as obras do venezuelano Jesús Soto (1923-2005) e a atividade lúdica, ao tempo que analisamos a maneira como essas relações favorecem a transmissão de uma determinada visão de mundo. Soto faz com que o fruidor se integre à obra e determine em grande medida sua performance, também vendo-se afetado por ela. Um dos objetivos deste pioneiro da arte cinética é criar metáforas do dinamismo existente na Natureza e fazer das obras plásticas espaços abertos onde o espectador-participante possa vivenciar ativamente essa realidade. Nesse sentido, veremos que as potencialidades cognitivas da arte e do jogo são amplamente exploradas pelo artista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2009-11-08

Como Citar

HERNÁNDEZ, M. B. O ser humano como participante e conhecedor do universo reflexões sobre a dimensão lúdica na obra de Jesús Soto. Cultura Visual, [S. l.], n. 10, p. 51–64, 2009. DOI: 10.9771/2175-084Xrcv.v0i10.3385. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/rcvisual/article/view/3385. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Selecionados / Selected Articles