Políticas Editoriais

Foco e Escopo

A revista Afro‑Ásia é uma publicação semestral do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia, dedicada, sobretudo, a temas afro-diaspóricos, africanos e asiáticos.

A revista preenche destacado espaço na vida cultural brasileira, pois ainda é um dos poucos periódicos nacionais inteiramente dedicados a temas afro-brasileiros e africanos, reunindo a produção de pesquisadores baseados no Brasil e em outros países. Ao garantir um espaço de excelência para o debate acadêmico nesse campo, esperamos também produzir referências significativas para uma ação sociopolítica antirracista e democrática, orientada para o combate às desigualdades que estruturam o mundo contemporâneo.

Afro‑Ásia oferece acesso universal livre, ilimitado e imediato a todas as suas publicações, e não cobra dos autores nenhum tipo de taxa de avaliação ou submissão. A revista também não estipula uma titulação mínima para a submissão de contribuições. A Afro‑Ásia aceita a submissão de originais em inglês, francês e espanhol, mas, caso o artigo seja aceito para publicação, o autor deverá se encarregar de fornecer uma tradução de nível profissional à revista.

O recebimento de originais ocorre em regime de fluxo contínuo. O processo de avaliação das submissões ocorre em duas fases. Na primeira, os editores verificam a adequação do manuscrito quanto à qualidade e ao foco e escopo da revista, assim como a suas normas editoriais. Na segunda, o manuscrito é submetido a pareceristas para uma avaliação duplamente anônima (de autor e parecerista) que pode rejeitar, aceitar ou indicar alterações obrigatórias no artigo. Autores devem observar o intervalo mínimo de dois anos entre a publicação e uma nova submissão.

 

Políticas de Seção

Artigos

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Os manuscritos devem ser preparados levando-se em conta os requisitos para uma avaliação duplamente anônima (veja a página Assegurando uma avaliação duplamente anônima).

O processo de avaliação das submissões ocorre em duas fases. Na primeira, os editores verificam a adequação do manuscrito ao foco e escopo da revista, assim como a suas normas editoriais. Em seguida, os originais considerados adequados são enviados a dois especialistas nos temas abordados, escolhidos pelos editores ou por membros do Conselho Editorial, para a emissão de pareceres. Embora na maior parte dos casos o processo de avaliação leva em torno de 90 dias, nosso cronograma depende da contribuição não remunerada de pareceristas ad hoc.

Os pareceristas podem aceitar, rejeitar ou indicar correções obrigatórias no manuscrito. As correções são obrigatórias mesmo quando indicadas por apenas um dos pareceristas. Se houver pareceres divergentes (uma aceitação e uma recusa), os editores solicitarão um terceiro parecer, o que pode alongar o processo de julgamento do artigo. Entretanto, a seu critério, os editores podem decidir pela rejeição do manuscrito a partir de um único parecer negativo bem fundamentado, ou da indicação de correções obrigatórias que impliquem reescrita substancial. É também importante observar que, em alguns casos excepcionais, em que um manuscrito aborde temas muito pouco frequentados pelo conjunto da pesquisa acadêmica no Brasil, a avaliação pode vir a ser feita por apenas um parecerista, sob pena de se inviabilizar o cronograma de avaliação.

 

Periodicidade

Semestral

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso universal livre imediato ao seu conteúdo, por meio de uma Licença Creative Commons Attribution versão 4.0 (CC-BY 4.0), seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente produção científica de excelência proporciona maior divulgação e democratização do conhecimento.

 

Arquivamento

A Afro-Ásia utiliza o sistema LOCKSS para criar um arquivo digital distribuído entre as bibliotecas participantes, permitindo que elas criem arquivos permanentes da revista com vistas a sua preservação e restauração. Confira aqui o manifesto de publicação.

 

Indexação

Afro‑Ásia encontra-se indexada e avaliada em:

  • Red de Revistas Científicas (redalyc);
  • Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);
  • Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);
  • Matriz de Información para el Análisis de Revistas (MIAR);
  • Directory of Open Access Journals (DOAJ);
  • CrossRef;
  • Public Knowledge Project (PKP|Index);
  • Latin America Research Commons (LARC);
  • Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);
  • Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);
  • AURA;
  • Qualis-Periódicos.

 

Declaração de Ética da Publicação

A Afro-Ásia busca se adequar às melhores práticas internacionais no que se refere aos princípios éticos no âmbito das publicações científicas. Os editores se conformarão às diretrizes relevantes do Committee on Publication Ethics (COPE) ao lidar com erros e retratações, e no curso de suas tarefas editoriais cotidianas, de modo a garantir o cumprimento dos padrões de ética por autores e pareceristas.

Editores, autores e pareceristas devem observar os padrões seguintes.

Editores

Os editores devem verificar inicialmente que o manuscrito submetido é original e não foi publicado previamente, no todo ou em parte. Manuscritos aceitos serão submetidos a uma revisão por pares duplamente anônima, que servirá de base para que os editores decidam aceitar, rejeitar, ou exigir revisões obrigatórias. Os editores devem se assegurar de que o conteúdo intelectual do manuscrito seja avaliado sem distinção de gênero, orientação sexual, raça, idade, religião, crenças políticas, origem geográfica etc. dos autores.

Os editores devem garantir que toda a informação relacionada à submissão permaneça confidencial. Os editores não poderão utilizar dados, hipóteses, argumentos ou conclusões constantes da submissão em sua própria pesquisa, exceto quando obtenham, previamente e por escrito, o consentimento dos autores.

Os editores devem atuar com prontidão e transparência em caso de suspeita de má conduta com relação a artigos já publicados ou em processo de publicação, de acordo com as diretrizes do COPE, ressalvado aos autores o direito de ampla defesa. Os editores são responsáveis pela divulgação de eventuais correções e retratações, obrigando-se à guarda e preservação de toda a documentação e comunicação correspondente.

Autores

Os autores devem atestar que o manuscrito é um trabalho inteiramente original. A autoria deve ser limitada àquelas pessoas efetivamente responsáveis pela pesquisa e pela produção do texto. Todos os autores devem ter lido e aprovado com antecedência a versão a ser submetida, bem como concordar com sua condição de coautor.

Os autores não devem submeter o manuscrito de forma simultânea a dois ou mais periódicos, nem publicar manuscritos redundantes, no todo ou em parte, exceto no caso da republicação futura de versões integrais, adaptadas, revisadas ou traduzidas do artigo publicado, desde que seja feita menção explícita à primeira publicação na Afro-Ásia. A prática conhecida como “salami publication” é rigorosamente desencorajada.

Todas as fontes de dados e citações relevantes para a pesquisa devem ser referenciadas de forma completa. O artigo deve refletir acuradamente a pesquisa original e apresentar uma discussão objetiva de sua relevância. Os autores são responsáveis pela guarda permanente dos dados brutos relacionados ao manuscrito, e ficam obrigados a fornecê-los para revisão caso solicitado pelos editores.

Os autores devem relatar qualquer erro ou inconsistência significativos eventualmente descobertos no manuscrito submetido, a qualquer momento antes ou depois da publicação.

Pareceristas

Toda a informação submetida à revisão deve ser tratada como confidencial e privilegiada. Os manuscritos devem ser avaliados tão objetivamente e imparcialmente quanto possível. Os pareceristas devem respeitar as afiliações teóricas e escolhas metodológicas dos autores. Os manuscritos não devem ser rejeitados apenas com base em divergências teóricas. Objeções, correções e pedidos de modificação devem ser claramente expressos e apoiados por argumentos, de forma construtiva.

Os pareceristas devem verificar se todas as fontes e a bibliografia das quais dependem os argumentos estão plenamente referenciadas. Os editores devem ser prontamente advertidos caso o parecerista perceba sobreposições ou similaridades com qualquer outro trabalho publicado.

Os pareceristas devem informar aos editores de qualquer circunstância que possa impedir a finalização do parecer no tempo estipulado, de modo que os editores possam ajustar o prazo ou enviar o manuscrito a outro parecerista. Pareceristas devem ficar especialmente atentos a possíveis conflitos de interesse e a notificar os editores imediatamente quando o anonimato dos autores fique comprometido pelo seu contato anterior com a pesquisa.