O ABANDONO AFETIVO COMO CONSEQUÊNCIA DA ALIENAÇÃO PARENTAL E A MEDIAÇÃO COMO FERRAMENTA APTA À SOLUÇÃO DOS CONFLITOS FAMILIARES

Autores

  • Caio Oliveira dos Santos

Resumo

A alienação parental trata-se de uma vingança acometida por um cônjuge ao outro, por meio do filho, geralmente em processo de separação, a fim de prejudicar as relações familiares, vindo, na grande maioria das vezes, a ter como consequência o abandono afetivo da criança. Desta feita, por meio do uso do método científico dedutivo, com a pesquisa em bibliografias, jurisprudência, legislação, sobre o assunto, visa-se estudar as consequências que o abandono afetivo e a alienação parental trazem para as relações familiares, como estas afetam a vida da criança, que pode vir a desenvolver a Síndrome de Alienação Parental. Analisa-se também a mediação enquanto técnica consensual de resolução de conflito, os institutos normativos que regulamentam a sua aplicação, bem como sua importância no âmbito do Direito de família, especialmente nos casos envolvendo a alienação parental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Oliveira dos Santos

Graduado em Direito pelo Centro Universitário Jorge Amado (2015). Atualmente, assessor jurídico - Energia Brasil. Pós-graduado Lato Sensu em Direito e Processo do Trabalho pela LFG em parceria com a Universidade Anhanguera (2016-2017) com Carga Horária de 426 horas. Especialista em Ciências Criminais com Carga Horária de 360 horas (2018-2019).

Downloads

Publicado

2020-08-10

Como Citar

Oliveira dos Santos, C. (2020). O ABANDONO AFETIVO COMO CONSEQUÊNCIA DA ALIENAÇÃO PARENTAL E A MEDIAÇÃO COMO FERRAMENTA APTA À SOLUÇÃO DOS CONFLITOS FAMILIARES. Revista Do CEPEJ, (22). Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/CEPEJ/article/view/38323

Edição

Seção

Artigos